Estaquia na propagação de espécies de fisális

Fabiola Villa, André Luiz Piva, Éder Junior Mezzalira, Anderson Santin

Resumo


A estaquia é um método bastante rápido de propagação assexuada e de baixo custo, o qual permite a manutenção das características das plantas de interesse agronômico, evitando assim a mistura de espécies. Diante do exposto, objetivou-se com o presente trabalho avaliar a época de coleta e tamanho de estacas na propagação assexuada de espécies de fisális, através do enraizamento e desenvolvimento inicial das mudas. Produziram-se as mudas em bandejas de poliestireno expandido, contendo substrato comercial. As bandejas com as sementes foram mantidas sob telado, com irrigações diárias, até 90 dias, quando ocorreu o transplantio para vasos, preenchidos previamente com mistura de substrato. Quando as plantas apresentaram maturidade fisiológica, realizou-se a coleta do material vegetativo para o desenvolvimento dos experimentos, sendo as estacas dispostas em tubetes cônicos, contendo mistura como substrato. O primeiro experimento constou de três espécies de fisális x três tamanhos de estacas. O segundo experimento constou das mesmas três espécies x três épocas de coleta. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso, esquema fatorial 3 x 3, contendo quatro repetições e oito estacas por unidade experimental. Após 90 dias realizaram-se as avaliações fitotécnicas. O tamanho e o tipo de estacas afeta a propagação assexuada de fisális. Estacas de 15 cm são apropriadas para a produção de mudas de fisális. A Physalis peruviana apresenta melhores resultados no enraizamento que as demais espécies. Estacas lenhosas de P. angulata apresentam melhores resultados na propagação vegetativa.


Texto completo:

PDF

Referências


ACOSTA, F.J.L et al. Propagación de uchuva (Physalis peruviana L.) mediante diferentes tipos de esquejes y sustratos. Revista da Facultad Nacional de Agronomía, Medelin, v.61, n.1, p.4347-4357, 2008.

ALMANZA, P.J. 2000. Propagación. En: FLÓREZ, V.J. et al. (eds.). Producción, poscosecha y exportación de la uchuva (Physalis peruviana L.). Unibiblos, Universidad Nacional de Colombia, Bogotá. p.27-40.

BONA, C.M. et al. Propagação de três espécies de carqueja com estacas de diferentes tamanhos. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.25, n.3, p.179-184, 2004.

CARVALHO JUNIOR, W.G.O. et al. Comprimento da estaca no desenvolvimento de mudas de alecrim-pimenta. Ciência Rural, Santa Maria, v.39, n7, p.2199-2202, 2009.

CAVIGLIONE, J.H. et al. Cartas climáticas do Paraná. Londrina: IAPAR, 2000.

FACHINELLO, J.C. et al. Propagação de plantas frutíferas. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2005. 221 p.

FERREIRA, D.F. Sisvar: um sistema de análise estatística computador. Ciência & Agrotecnologia, Lavras, v.35, n.6, p.1039-1042, 2011.

HARTMANN, H.T. et al. Plant propagation: principles and practices. 7ª ed. New Jersey, Prentice Hall. 880p., 2002.

HERNÁNDEZ, J.F.S. et al. Enraizamento de estacas de tomate de cáscara (Physalis ixocarpa Brot.). Revista Chapingo, Série Horticultura, México, v.10, n.1, p.37-41, 2004.

MORENO, N.H. et al. Propagación asexual de uchuva (Physalis peruviana L.) em diferentes sustratos y a distintos niveles de auxina. Agronomía Colombiana, Bogotá, v.27, n.3, p.341-348, 2009.

MUNIZ, J. et al. Sistemas de condução para o cultivo de physalis no planalto catarinense. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.33, n.3, p.830-838, 2011.

NICOLOSO, F.T. et al. Comprimento da estaca de ramo no enraizamento de ginseng brasileiro (Pfaffia glomerata). Ciência Rural, Santa Maria, v.31, n.1, p.57-60, 2001.

PIVA, A.L. et al. Ambientes e tipo de estaca na produção de mudas de fisális. Revista Cultivando o Saber, Cascavel, v.5, n.3, 2012.

RUFATO, L. et al. Aspectos técnicos da cultura da physalis. 1. ed. Lages: CAV/UDESC; Pelotas: UFPel, 2008. 100 p.

SALINAS, C.C. et al. Respuesta de plântulas de uchuva (Physalis peruviana L.) a diferentes concentraciones de nitrato y amônio. Revista Bio Ciencias, Nayarit, v.2, n.3, p.148-153, 2013.

VELASQUEZ, H.J.C. et al. Estudio preliminar de la resistência mecánica a la fractura y fuerza de firmeza para fruta de uchuva (Physalis peruviana L.). Revista da Facultad Nacional de Agronomía, Medelin, v.60, n.1, p.-3785-3796, 2007.

ZUFFELLATO-RIBAS, K.C.; RODRIGUES, J.D. Estaquia: uma abordagem dos principais aspectos fisiológicos. Curitiba: UFPR, 2001. 39 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line