Potencialidades e Limitações para o uso agrícola de solos arenosos na região semiárida da Bahia

Alessandra Monteiro Salviano, Tony Jarbas Ferreira Cunha, Nelci Olszevski, Manoel Batista de Oliveira Neto, Vanderlise Giongo, Alexsandra Fernades de Queiroz, Flávia Jussara de Santana Menezes

Resumo


Devido à expansão da agricultura no Vale do Submédio São Francisco, muitas áreas, sem aptidão ou de aptidão restrita são cultivadas, resultando em grande potencial de degradação, principalmente no caso dos solos arenosos. Assim, esse trabalho teve como objetivo caracterizar e classificar solos representativos do município de Remanso-BA a fim de ampliar o conhecimento sobre os solos na região do Lago de Sobradinho, em particular os arenosos e, consequentemente, contribuir para a sustentabilidade da atividade agrícola desenvolvida na região. Foram selecionadas quatro áreas próximas ao Lago de Sobradinho, realizadas descrições morfológicas e coletas de amostras para análises físicas e químicas, além de observações do ambiente. Os quatro perfis representativos: (P1: Latossolo Amarelo Distrófico típico psamítico – LAd; P2: Latossolo Vermelho Amarelo Eutrófico típico – Lve; P3: Neossolo Quartzarênico Órtico plíntico – RQo; e P4 – Neossolo Quartzarênico Órtico plíntico - RQo) estão localizados em área de caatinga hiperxerófila pouco densa e relevo plano. Os solos avaliados são de textura arenosa e apresentam baixa fertilidade natural, tornando-se necessário que o manejo para o uso agrícola seja conduzido a partir da adoção de práticas conservacionistas, que contribuam com o aumento dos teores de matéria orgânica a fim de melhorar sua qualidade. Além disso, com base nos atributos químicos e físicos dos solos avaliados, o uso intensivo e inadequado de fertilizantes e pesticidas nessa região tem potencial para aumentar os riscos de contaminação da água do Lago de Sobradinho

Texto completo:

PDF

Referências


Alho, D.R., Júnior, J.M., Campo, M.C.C. 2007. Caracterização física, química e mineralógica de Neossolos Litólicos de diferentes materiais de origem. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 2: 117-122.

Alvarez V., V. H., NOVAIS, R.F., BARROS, N.F., CANTARUTTI, R.B., LOPES, A.S. 1999. Interpretação dos resultados das análises de solos. In: Ribeiro, A. C., Guimarães, P. T. G., Alvarez V., V. H. (Ed.). Recomendação para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5ª Aproximação. Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, Viçosa. p. 25-32.

Anjos, L. H. C., Pereira, M. G., Pérez, D. V., Ramos, D. P. 2007. Caracterização e classificação de plintossolos no município de Pinheiro – MA. Revista Brasileira de Ciência Solo 31: 1035-1044.

Araújo, M. S. B., Schaefer, C. E. G. R., Sampaio, E. V. B. 2004. Frações de fósforo após extrações sucessivas com resina e incubação, em Latossolos e Luvissolos do semiárido de Pernambuco. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28: 259-268.

BRASIL. 1973. Levantamento exploratório-reconhecimento de solos do Estado de Pernambuco. DR- SUDENE. Recife. 713p.

Corrêa, R. M., Freire, M. B. G. S., Ferreira, R. L. C., Freire, F. J., Pessoa, L. G. M., Miranda, M. A. & Melo, D. V. M. Atributos químicos de solos sob diferentes usos em perímetro irrigado no semiárido de Pernambuco. 2009. Revista Brasileira de Ciência do Solo 33: 305-314.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 2013. Centro Nacional de Pesquisas de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Embrapa Solos, Brasília. 230p.

Donagema, G.K.; Campos, D. V. B. DE; Calderano, S. B.; Teixeira, W. G.; Viana, J. H. M. 2011. Manual de métodos de análise de solo. 2ª Ed. Revista. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 230p.

Lima, G.M., Dias, L.F., Vale, R.M.C.do. 2012. Mapeamento geomorfológico como subsídio ao estudo da desertificação no norte da Bahia. Revista Geonorte, 2: 588–598.

Nascimento, P. N. Bassoi, L. H., Paz, V. P. S., Vaz, C. M. P., Naime, J. M., Manierei, J. M. 2010. Estudo comparativo de métodos para determinação da curva de retenção de água no solo. Irriga 15: 193-207.

Oliveira, B.A., Nascimento, C.W.A. 2006. Formas de manganês e ferro em solos de referência de Pernambuco. Revista Brasileira de Ciência do Solo 30: 99-110.

Oliveira, L.F.C. de, Nogueira, J.G., Frizzarim, S.S., Fia, R., Freitas, J.S., Fia, F.R.L. 2013. Sorção e mobilidade do lítio em solos de áreas de disposição final de resíduos sólidos urbanos. Engenharia Sanitária e Ambiental, 18: 139-148.

Reichardt, K.; Timm, L. C. 2004. Solo, planta e atmosfera: conceitos, processos e aplicações. Manole, Barueri, SP. 478p.

Reichert, J.M., Reinert, D.J., Braida, J.A. 2003. Qualidade dos solos e sustentabilidade de sistemas agrícolas. Ciência & Ambiente. 27: 29-48.

Sales, L.E.O., Carneiro, M.A.C., Severiano, A.C., Oliveira, G.C., Ferreira, M.M. 2010. Qualidade física de Neossolo Quartzarênico submetido a diferentes sistemas de uso agrícola. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 34: 667-674.

Santos, J.C.B., Souza Júnior, V.S. de, Corrêa, M. M., Ribeiro, M. R., Almeida, M. da C., Borges, L. E. P. 2012. Caracterização de neossolos regolíticos da região semiárida do estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 683-695.

Santos, R.D. dos., Lemos, R.C. de, Santos, H.G., Ker, J.C., Anjos, L.H.C., Shimizu, S. H. 2013. Manual de descrição e coleta de solo no campo. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG. 100p.

Santos, V. R., Moura Filho, G., Santos, C. G., Santos, M. A. L., Cunha, J. L. X. L. 2009. Contribuição de argilominerais e da matéria orgânica na CTC dos solos do estado de Alagoas. Caatinga 22: 27-36.

Silva, A. J. N.; Cabeda, M. S. V. Compactação e compressibilidade do solo sob sistema de manejo e níveis de umidade. 2006. Revista Brasileira Ciência do Solo 30: 921-930.

Souza, R. V. C. C., Ribeiro, M. R., Souza Junior, V. S., Corrêa, M. M., Almeida, M. C., Campos, M. C. C., Ribeiro Filho, M. R., Schulze, S. B. B. 2010. Caracterização de solos em uma topoclimossequência no maciço de Triunfo – sertão de Pernambuco. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34: 1259-1270.

Stolf, R. Thurler, A. M., Bacchi, O. O. S., Reichardt, K. 2011. Method to estimate soil macroporosity and microporosity based on sand content and bulk density. Revista Brasileira de Ciência do Solo 35: 44


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line