Percepção da população de Mossoró, Rio Grande do Norte sobre a poda e arborização urbana

Evandro Rodrigues Bezerra da Silva, Magda Cristina de Sousa, Jane Kelly Holanda Melo, Tenessee Andrade Nunes

Resumo


Resumo: As árvores possuem uma função nas cidades que vão além do aspecto paisagístico e de
embelezamento estético. Elas proporcionam benefícios à população absorvendo parte dos raios solares,
oferecendo sombreamento, diminuindo a poluição sonora e atmosférica (partículas de poeira), servindo de
proteção contra ventos e tornam o ar mais úmido pela transpiração de suas folhas. O presente trabalho
objetivou avaliar a percepção da população sobre a arborização urbana e a prática da poda dessas árvores
para melhoria na qualidade de vida dos habitantes do município de Mossoró, Rio Grande do Norte. Os
dados foram oriundos de fonte primária, a partir da aplicação aleatória de questionários aos responsáveis
por imóveis, residenciais ou não, mas que dispunham de árvores na calçada, em cinco bairros da cidade,
para abranger todas as regiões administrativas. Essas localidades foram escolhidas por meio de sorteio. A
amostra representativa da população foi do tipo aleatória, simples e sistematizada. Realizou-se a análise
dos dados por meio da estatística descritiva. Constatou-se que, 55,0% dos entrevistados concordam que as
árvores são importantes para regularidade do clima; 29,3% podam as árvores em virtude do formato da
copa não apreciado; 36,8% dizem que as árvores promovem o embelezamento das cidades. A prática da
poda pode favorecer a melhoria da qualidade de vida da população, por diminuir a sujeira causada pela
queda de folhas, frutos e flores, os danos causados aos cabos de eletricidade e de telefonia como também
deixar o clima mais ameno e a reduzir a poluição.


Palavras chave: Qualidade de vida, Ambiente urbano, Árvores.


Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, L. M. (2008). Arborização urbana.

[Apostila do Curso de Arborização Urbana].

Mossoró: Universidade Federal Rural do

Semiárido.

Castro, N. S. (2004). Arborização urbana: poda,

condução e legislação [Boletim informativo, nº1,

p.]. São Paulo: SBAU, ano XII. Recuperado em

de setembro de 2012 de

http://www.sbau.com.br/arquivos/1semestre2004.

pdf .

Costa, A. R. (2008). Levantamento da

arborização viária do centro do bairro de Santa

Cruz, Rio de Janeiro, RJ. Monografia de

Graduação em Agronomia , Universidade Federal

Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ, 14f.

Crestana, M. S. (1996). A importância da poda no

paisagismo: [Curso em Treinamento sobre Poda

em Espécies Arbóreas Florestais e de

Arborização Urbana, N. 1]. Recuperado em 24 de

outubro de 2015 de

http://www.ipef.br/publicacoes/curso_arborizacao

_urbana/cap05.pdf.

Fátima, M. (2005). Estudo dos impactos

ambientais da interação da rede de distribuição

de energia elétrica com a arborização urbana nos

municípios da região metropolitana do Recife.

(173f.). Dissertação de Mestrado, Universidade

Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Cidade. Recuperado em 20 de maio de 2015 dehttp://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (2010).

PNAD 2009 - Primeiras análises: investigando a

chefia feminina de família (Comunicados do IPEA,

, 26p). Rio de Janeiro: IPEA, Secretaria de

Assuntos Estratégicos da Presidência da

Republica.

Laera. L. H. N. (2006). Valoração economizada

arborização: valorarão dos serviços ambientais

para a eficiência e manutenção do recurso

ambiental urbano (137f.). Dissertação de

Mestrado, Universidade Federal Fluminense,

Niterói, RJ, Brasil.

Melo, J. K. H. (2005). Aspectos ambientais em

assentamentos rurais no município de Mossoró

(32 f.). Monografia de Graduação, Universidade

Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, RN,

Brasil.

Mendes, B. V. (2003). Biodiversidade e

desenvolvimento sustentável do semiárido (108p.)

Fortaleza: SEMACE.

Mendonça, M.G. (2000). Políticas e condições

ambientais de Uberlândia - MG no contexto

estadual e federal. Dissertação de Mestrado,

Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia,

MG.

Milano, M. S. & Dalcin, E. C. (2002). Arborização

de vias públicas. (131p.). Rio de Janeiro: Light.

Paiva, H.N. & Gonçalves, W. (2002). Florestas

urbanas: planejamento para a melhoria da

qualidade de vida. (180p).Viçosa: Aprenda Fácil,.

Pivetta, K. F. L. & Silva Filho, D. F. (2002).

Arborização urbana. (Boletim Acadêmico – Série

Arborização Urbana, 74p.). Jaboticabal: UNESP.

Puente, A. D., Piccoli, L. A. & Sanchotene, M. C.

(2012). Plantio em áreas urbanas. Recuperado

em 19 de maio de 2012 de

http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/sm

am/usu_doc/andre_d_Puente.pdf.

Roppa, C., Falkenberg. J. R., Stangerlin. D. M.,

Brun. F. G. K, Brun. E. J. & Longh. S. J. (2011).

Diagnostico da percepção dos moradores sobre a

arborização urbana na Vila Estação Colônia -

Bairro Camobi, Santa Maria - RS. Revista da

Sociedade Brasileira de Arborização Urbana,

Piracicaba, 2 (2), 11 - 30.

Santos, N. R. Z. & Teixeira, I. F. (2001).

Arborização de vias públicas: ambiente x

vegetação. Porto Alegre: Pallotti, 135 p.

Schuch, M. I. S. (2006). Arborização urbana: uma

contribuição à qualidade de vida com uso de

geotecnologias. Dissertação de Mestrado,

Universidade Federal de Santa Maria, Santa

Maria, RS, Brasil.

Seitz, R. A. (2010). A poda de árvores urbanas.

(Série Técnica n.19). Curitiba: Fupef.

Recuperado em 01 de maio de 2012 de

http://www.ipef.br/publicacoes/curso_arborizacao

_urbana/cap07.pdf .

Seitz, R. A. (1996). A poda de árvores urbanas.

(N. 19, Série Técnica, 41p). Curitiba: Fupef

Sirvinskas, L. P. (2012). Arborização urbana e

meio ambiente – aspectos jurídicos. Recuperado

em 19 de maio de 2012 de

http://www.justitia.com.br/artigos/7c2a76.pdf.

Stringheta, A.C. O. (2005). Arborização urbana

no Brasil. Ação Ambiental, Viçosa, 8 (33), 9-11.

Velasco, G. D. N. & Lima, A. M. L. P. (2005).

Danos em calçadas e sua relação com área

permeável, circunferência à altura de peito e poda

em árvores urbanas. Congresso Brasileiro de

Arborização Urbana, Belo Horizonte, MG, 9.

VITAL, B.R. (1984). Métodos de determinação da

densidade da madeira(Boletim Técnico, n.1, 21p. )

Viçosa: SIF/ UFV.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line