Efeito salino da água e da aplicação de biofertilizante sobre o crescimento do mamão Havaí

Francisco de Oliveira Mesquita, Rafael Oliveira Batista, Lourival Ferreira Cavalcante, Antônio Gustavo de Luna Souto, Antonio João de Lima Neto, Cleiton José de Oliveira

Resumo


Resumo: A salinidade é um problema que afeta diversas culturas, principalmente em regiões semiárida. O
trabalho objetivou avaliar o efeito da salinidade da água de irrigação e da aplicação de biofertilizante
enriquecido sobre o crescimento relativo das mudas de mamoeiro Havai cv. Golden. O experimento foi
desenvolvido no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, Areia - PB, de
outubro/2009 a fevereiro/2010, utilizando como substrato, material de solo proveniente de um Neossolo
Regolítico. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com os tratamentos em esquema
fatorial 5 × 2 × 3, com seis repetições. As plantas foram irrigadas com diferentes níveis de salinidade da
água para a irrigação (0,5; 1,0; 2,0; 3,0 e 4,0 dS m-1) no solo com e sem biofertilizante enriquecido
quimicamente, tendo o seu crescimento avaliado em três épocas distintas: 30, 60 e 90 dias após a
emergência (DAE), para determinação da taxa de crescimento relativo da altura de plantas, diâmetro do
caule, massa de matéria seca da parte aérea, raiz e total. A taxa de crescimento relativo em altura e
diâmetro caulinar foi reduzida com o aumento da salinidade, porém com menor intensidade nos tratamentos
com biofertilizante. Conclui-se que o crescimento relativo das mudas de mamão foi prejudicado pelos efeitos
dos sais da água de irrigação, mas com menor efeito em plantas crescidas em solos com biofertilizante.
Palavras chave: Carica papaya L., Efeito osmótico, Insumo orgânico.
Salt


Texto completo:

PDF

Referências


Anuário da Agricultura Brasileira (2012). São

Paulo: FNP consultoria & comércio.

Ayers, R. S., & Westcot, D. W. A (1999).

qualidade da água na agricultura (n. 29, Estudos

FAO: irrigação e drenagem, 152p.). Gheyi, H. R.,

Medeiros, J. F. & Damasceno, F. A. V. (Trads.).

Campina Grande: UFPB.

Baalousha, M., Motelica-Heino, M., & Le

Coustumer, P. (2006). Conformation and size of

humic substances: Effects of major cation

concentration and type, pH, salinity, and

residence time. Colloids and surfaces A:

physicochemical and engineering aspects, 272

(1), 48-55.

Banzatto, D. A., & Kronka, S. N. (2006).

Experimentação Agrícola (4.ed.,237p.).

Jaboticabal: UNESP.

Benincasa, M. M. P. (2003). Análise de

crescimento de plantas: noções básicas (41p.).

Jaboticabal, SP. FUNEP.

Canesin, R. C. F. S., & Corrêa, L. D. S. (2006).

Uso de esterco associado à adubação mineral na

produção de mudas de mamoeiro (Carica papaya

L.). Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal,

(3), 481-486.

Cavalcante, I. H. L., Silva, R. R.S., Albano, F.

G.,Lima, F.N., & Marques, A. S. (2011) Foliar

spray of humic substances on seedling production

of Papaya (Pawpaw). Journal of Agronomy, 10

(4), 118-122.

Cavalcante, L. F., Cordeiro, J. C., Nascimento, J.

A. M., Cavalcante, H. L., & Dias, T. J. (2010a)

Fontes e níveis da salinidade da água na

formação de mudas de mamoeiro cv. sunrise

solo. Semina: Ciências Agrárias, 31 (4), 1281-

Cavalcante, L. F., Vieira, M. S., Santos, A. F.,

Oliveira, W. M., & Nascimento, J. A. M. (2010b)

Água salina e esterco bovino líquido na formação

de mudas de goiabeira cultivar Paluma. Revista

Brasileira de Fruticultura, 32 (1), 251-261.

Coelho, D. C., Silva, E. C. B., Silva, F. M., Sousa,

E. M. L., & Nobre, R. G. (2015). Crescimento de

mudas de mamoeiro em condições controladas

com água salina. Revista Verde de Agroecologia

e Desenvolvimento Sustentável, 10 (1), 1-5.

Deinlein, U., Stephan, A. B., Horie, T., Luo, W.,

Xu, G. & Schroeder, J I. (2014). Plant salttolerance

mechanisms. Trends in Plant Science,

(6), 371-379.

Donagema, G. K., Campos, D. V. B., Calderano,

S. B. ,Teixeira, W. G., & Viana, J. H. M. (2011).

Manual de Métodos de Análise de Solo. (2 ed.,

p.). Rio de Janeiro: Embrapa Solos.

Fernández-García, N., Olmos, E., Bardisi, E.,

García-De La Garma, J., López-Berenguer, C. &

Rubio-Asensio, J. S. (2014). Intrinsic water use

efficiency controls the adaptation to high salinity in

a semi-arid adapted plant, henna (Lawsonia

inermis L.). Journal of Plant Physiology, 171 (5),

-75.

Gupta, B., & Huang, B. (2014). Mechanism of

salinity tolerance in plants: Physiological,

biochemical, and molecular characterization.

International Journal of Genomics, 1-18.

Leite, E. M., Diniz, A. A., Cavalcante, L. F., Gheyi,

H. R., & Campos, V. B. (2010). Redução da

sodicidade em solo irrigado com a utilização de

ácido sulfúrico e gesso agrícola. Revista

Caatinga, 23 (2), 110-116.

Lima, J. F., Peixoto, C. P. & Ledo, C. A. S. (2007).

Índices fisiológicos e crescimento inicial de

mamoeiro (Carica papaya L.) em casa de

vegetação. Ciência e Agrotecnologia, 31 (5),

-1363.

Marrocos, S. T. P., Novo Jr., J., Grangeiro, L. C.,

Ambrosio, M. M. Q., & Cunha, A. P. A. (2012).

Composição química e microbiológica de

biofertilizantes em diferentes tempos de

decomposição. Revista Caatinga, 25 (4), 34-43.

Mesquita, E. F., Cavalcante, L. F., Gondim, S.C.,Campos, V. B., Cavalcante, I. H. L., & Gondim, P.

C. (2010). Teores foliares e exportação de

nutrientes do mamoeiro Baixinho de Santa Amália

tratado com biofertilizantes. Pesquisa

Agropecuária Tropical, 40 (1), 66-76.

Mesquita, F. O., Rebequi, A. M., Cavalcante, L.

F., & Souto, A. G. L. (2012b). Crescimento

absoluto e relativo de mudas de maracujazeiro

sob biofertilizante e águas salinas. Revista de

Ciências Agrárias, 35 (1), 229-239.

Mesquita, F. O., Rodrigues, R. M., Medeiros, R.

F., Cavalcante, L. F., & Batista, R. O. (2012a).

Crescimento inicial de Carica papaya sob

irrigação com águas salinas em solo com

biofertilizante bovino. Semina: Ciências Agrárias,

(6), 2689-2704.

Munns, R. & Tester, M. (2008). Mechanisms of

salinity tolerance. Annual Review of Plant Biology,

(1), 651-681.

Paixão, M. V. S., Schmildt, E. R., Mattiello, H. N.,

Ferreguetti, G. A., & Alexandre, R. S. (2012).

Frações orgânicas e mineral na produção de

mudas de mamoeiro. Revista Brasileira de

Fruticultura, 34 (4), 1105-1112.

Richards, L. A. (1954). Diagnosis and

improvement of saline and alkaline soils. (N.60,

agriculture, 160p.). Washington: United States

Salinity Laboratory Staff.

Sá, F. V. S., Brito, M. E. B., Melo, A. S., Antônio

Neto, P., Fernandes, P. D., & Ferreira, I. B.

(2013). Produção de mudas de mamoeiro

irrigadas com água salina. Revista Brasileira de

Engenharia Agrícola e Ambiental, 17(10), 1047-

Santos, D. B., Ferreira, P. A., Oliveira, F. G.,

Batista, R. O., Costa, A. C., & Cano, M. A. O.

(2012). Produção e parâmetros fisiológicos do

amendoim em função do estresse salino. Idesia,

(2), 69-74.

Santos, H. G.dos, Almeida, J. A., de Oliveira, J.

B., Lumbreras, J. F., dos Anjos, L. H. C., Coelho,

M. R., Jacomine, P. K. T., Cunha, T. J. F., & de

Oliveira, V.A. (2013). Sistema Brasileiro de

Classificação de Solos. (3 ed.) Brasília, DF:

Embrapa Solos.

Silva, A. F., Pinto, J. M., França, C. R. R. S.,

Fernandes, S. C., Gomes, T. C. A., Silva, M. S. L.,

& Matos, A. N. B. (2007). Preparo e uso de

biofertilizantes líquidos (N.130, Comunicado

Técnico). Petrolina: Embrapa.

Távora, F. J. A. F., Ferreira, R. G., & Hernandez,

F. F. F. (2001). Crescimento e relações hídricas

em plantas de goiabeira submetidas a estresse

salino com NaCl. Revista Brasileira de

Fruticultura, 23 (2), 441-446.

Torres, E. C. M., Freire, J. L. O., Oliveira, J. L.,

Bandeira, L. B., Melo, D. A., & Silva, A. L. (2014).

Biometria de mudas de cajueiro anão irrigadas

com águas salinas e uso de atenuadores do

estresse salino. Nativa, 2 (2), 71-78.

Turan, M. A., Aşik, B. B., Katkat, A. V., & Çelik,

H. (2011). The effects of soil-applied humic

substances to the dry weight and mineral nutrient

uptake of maize plants under soil-salinity

conditions. Notulae Botanicae Horti Agrobotanici

Cluj-Napoca, 39 (1), 171-177.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line