Atributos químicos do solo modificados por diferentes sistemas de cultivo associados a culturas antecessoras ao cultivo do milho, nos Tabuleiros Costeiros

Alceu Pedrotti, Tácio Oliveira da Silva (In memoriam), Eloá Moura Araújo, Renisson Neponuceno de Araújo Filho, Francisco Sandro Rodrigues Holanda

Resumo


Resumo: Os sistemas de manejo conservacionista do solo, quando associadas a culturas antecessoras a cultura do milho podem promover significativa melhoria dos atributos químicos do solo, condicionando maiores níveis de produtividade do milho. O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento de atributos químicos do solo influenciados por diferentes sistemas de manejo, associado ao uso de culturas antecessoras ao cultivo do milho em espigas (Zea mays L.) sob experimento de longa duração em um Argissolo Vermelho-Amarelo nos Tabuleiros Costeiros no estado de Sergipe. Para isto, analisou-se um experimento implantado em 2001, como delineamento de faixas experimentais (onde implantou-se os sistemas de cultivo) com parcelas subdivididas (onde implantou-se as culturas antecedentes),resultando 12 tratamentos que associam três sistemas de manejos de solos - cultivo convencional (CC), cultivo mínimo (CM) e o plantio direto (PD) e, quatro culturas antecedentes ao milho doce (duas comerciais: amendoim (Arachis hypogeae) e feijão (Phaseolus vulgaris); e duas plantas de cobertura: guandu (Cajanus cajan) e crotalária (Crotalaria juncea), com três repetições. Para as condições do experimento, as culturas antecedentes contribuem com aumento nos teores de macro e micronutrientes, nas camadas mais superficiais do solo (principalmente nos sistemas mais conservacionistas), o PD favorece os maiores incrementos para CTC a pH 7,0, fósforo e matéria orgânica quando comparado ao CM e CC. Em termos gerais, o PD promove maiores incrementos de macro e micronutrientes quando comparado ao CM e CC, nas diferentes camadas do perfil do solo. A adoção de sistemas conservacionistas quando associados a culturas antecedentes eficientes na absorção de nutrientes, promovem maior ciclagem destes, contribuindo para a elevação de níveis mais elevados de produtividade do milho.


Palavras chave: Zea mays L., Manejo do solo, Plantio direto


Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, J. A., Bertol, I., Leite, D., Amaral, A. J., & Zoldan Jr., W.A. (2005). Propriedades químicas de um Cambissolo Húmico sob preparo convencional e semeadura direta após seis anos de cultivo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, 29 (3), 437-445.

Banzatto, D. A., & Kronka, S. N. (2006). Experimentação agrícola. (4.ed., 237p). Jaboticabal: Funep.

Barber, S.A. (1995). Soil nutrient bioavailability: a mechanistic approach (2.ed., 414p). New York: John Wiley & Sons.

Carvalho, H. W. L., Rocha, L.M.P., Oliveira, I.R., Cardoso, M.J., Pacheco, C.A.P., Tabosa, J. N., Lira, M.A., Feitosa, L.F., Melo, K.E.O.M., Rodrigues, C.S., Menezes, A.F,. & Santos, M. L. (2009). Estabilidade de cultivares de milho no Nordeste brasileiro: ensaios realizados na safra 2008 (Boletim de pesquisa e desenvolvimento, N. 45). Aracajú: Embrapa Tabuleiros Costeiros.

Carvalho, J. L. N., Cerri, C. E. P., Feigl, B. J., Píccolo, M. C., Godinho, V. P., & Herpin, U. (2007). Changes of chemical properties in na oxisol after clearing of native Cerrado vegetation for agricultural use in Vilhena, Rondônia State, Brazil. Soil & Tillage Research, 96 (1), 95-102.

Cavalcante, E. G. S., Alves, M. C., Souza, Z. M., & Pereira, G. T. (2007). Variabilidade espacial de atributos químicos do solo sob diferentes usos e manejos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 31 (6), 1329-1339.

Cintra, L. F. D, Anjos, J. L., & Mello, W. M. P. I. (2001, novembro). Anais do Workshop coesão em solos dos Tabuleiros Costeiros (339p). Embrapa Tabuleiros Costeiros: Aracaju.

Ciotta, M. N., Bayer, C., Ernani, P. R., Fontoura, S. M. V., Albuquerque, J. A., & Wobeto, C.(2002). Acidificação de um Latossolo sob semeadura direta. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 26 (4), 1055-1064.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (1997). Manual de métodos de análise de solo (212p). Rio de Janeiro: Centro Nacional de Pesquisa de Solos.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (2009). Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes (2.ed., 628p). Brasília: Embrapa Informação Tecnológica.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (2013). Sistema brasileiro de classificação de solos. (3.ed., 353p). Brasília.

Epstein, E. & Bloom, A. J. (2006). Nutrição mineral de plantas: princípios e perspectivas (403p). Londrina: Editora Planta.

Ferreira, D. F. (2011). Sisvar: um sistema computacional de análise estatística. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, 35 (6), 1039-1042.

Frazão, L. A., Piccolo, M. C., Feigl, B. J., Cerri, C. C., & Cerri, C. E. P. (2008). Propriedades químicas de um Neossolo Quartzarênico sob diferentes sistemas de manejo no cerrado mato-grossense. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 43, 641-648.

Freiria, A. C., Mantovani, J. R., Ferreira, M. E., Cruz, M. C. P., & Yagi, R. (2008). Alterações em atributos químicos do solo pela aplicação de calcário na superfície ou incorporado. Acta Scientiarum Agronomy, 30 (2), 285-291.

Gama-Rodrigues, A. C., Gama-Rodrigues, E. F., & Brito, E. C. (2007). Decomposição e liberação de nutrientes de resíduos culturais de plantas de cobertura em Argissolo Vermelho Amarelo na região noroeste fluminense (RJ). Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 31 (6), 1421-1428.

He, J., Li, H., Rabi, G. R., Wang, Q., Cai, G., Su, Y., Qiao, X., & Liu, L. (2011). Soil proprieties and crop yields after 11 years of no tillage farming in wheat-maize cropping system in North China Plain. Soil & Tillage Research, 113. 48-54.

Heinrichs, R., Vitti, G. C., Moreira, A., Figueiredo, A. M.o, Francelli, A. L., & Corazza, E. J. (2005). Características químicas de solo e rendimento de fitomassa de adubos verdes e de grãos de milho, decorrente do cultivo consorciado. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 29 (1), 71-79.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. (2010). Recuperado em 2 novembro, 2015, de http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=1612&z=tzo=11%i=p.

Leite, G. H. M. N., Eltz, F.L.F., Amado, T. J. C., & Cogo, N. P. (2006). Atributos químicos e perfil de enraizamento de milho influenciados pela calagem em semeadura direta. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 30 (4), 685-693.

Leite, L. F. C., Galvão, S. R. S., Holanda Neto, M. R., Araújo, F. S., & Iwata, B. F. (2010). Atributos

químicos e estoques de carbono em Latossolo sob plantio direto no cerrado do Piauí. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, 14 (12), 1273-1280.

Limousin, G., & Tessier, D. (2007). Efects of no-tillage on chemical gradients and topsoil acidification. Soil & Tillage Research, 92 (1-2), 167-174.

Moussa-Machraoui, S. B. et al. (2010). Comparative effects of conventional and no-tillage management on some soil properties under Mediterranean semi-arid conditions in northwestern Tunisia. Soil & Tillage Research, 106 (2), 247–253.

Marcelo, A. V., Corá, J. E., Fernandes, C., Martins, M. R., & Jorge, R. F. (2009). Crop sequences in no-tillage system: effects on soil fertility and soybean, maize and rice yield. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 33 (2), 417-428.

Markert, R.C. (2011). Efeitos do preparo sobre algumas propriedades físicas, químicas e biológicas de um Latossolo Vermelho da região de cerrado (64f). Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira, SP, Brasil.

Nascimento, J. T., Silva, I. F., Santiago, R. D., & Silva Neto, L. F. (2003). Efeito de leguminosas nas características químicas e matéria orgânica de um solo degradado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 7 (3), 457-462.

Pedrotti, A., & Holanda, F. S. R. Aspectos ambientais e tecnológicos do processo produtivo do semi-árido nordestino. In. Silva, T. E. M., & Lopes, E. S. A. (2003). Múltiplos olhos sobre o semi-árido nordestino- sociedade, desenvolvimento e políticas publicas (pp 303-329). Aracaju: FAP.

Pedrotti, A., Aciole, F. M .S., Silva, T. O., Araujo, E. M., Santos, D. & Mello Jr., A. V. (2014). Manejo do solo e de culturas de antecessão sobre a produtividade do milho em experimento de longa duração. Magistra, Cruz das Almas, BA, 25 (3/4), 220-227.

Pegoraro, R. F., Silva, I. R., Novais, R. F., Mendonça, E. S., & Gebrim, F. O. (2006). Fluxo difusivo e biodisponibilidade de zinco, cobre, ferro e manganês no solo: influência da calagem, textura do solo e resíduos vegetais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 30 (5), 859-868.

Pimentel-Gomes, F.(1987). A estatística moderna na pesquisa agropecuária (3ed.,160p.) Piracicaba: POTAFOS.

Resende, S. C. (2009). Sistemas de manejo e sucessão de culturas na qualidade do solo nos tabuleiros costeiros sergipano (114f). Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, Brasil.

Scherer, E. E., Baldissera, I. T., & Nesi, C. N. (2007). Propriedades químicas de um latossolo vermelho sob plantio direto e adubação com esterco de suínos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 31 (1), 123-131.

Sobral, L. F., Viegas, P. R. A., Siqueira, O. J. W., Anjos, J. L., Barretto, M. C. V., & Gomes, J. B. V. (Eds). (2007). Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes no Estado de Sergipe (v.1, 251p). Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros.

Stevenson, F.J. (1995). Húmus chemistry: genesis, composition and reactions (Second Edition, 496p). Journal Chemical Education, New York, 72 (4).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line