Estudo das precipitações máximas para o município de Cruz das Almas, BA

Miguel Julio Machado Guimarães, Iug Lopes, Wellington Pereira da Silva, Anderson Santos da Silva

Resumo


Resumo: Objetivou-se com este trabalho analisar o ajuste dos dados de precipitação máxima à distribuição
de Gumbel, e estimar as precipitações máximas para os períodos de retorno de 2, 5, 10, 20, 30, 50, 100,
200 e 300 anos para a cidade de Cruz das Almas,BA. Foram analisadas as séries históricas dos valores
máximos diários de precipitação de uma série 44 anos (1971 a 2014) dos registros da estação
meteorológica convencional localizada na sede da Embrapa Mandioca e Fruticultura, no município de Cruz
das Almas,BA. Os dados foram submetidos ao teste de aderência de Kolmogorov-Smirnov aos níveis de 1 e
5% de probabilidade e posteriormente processados. Observou-se picos de precipitação máxima diária com
numa escala temporal média de oito anos. Os dados de precipitação máxima diária anual apresentaram
aderência ao modelo probabilístico de Gumbel, gerando um modelo logarítmico satisfatório.
Palavras chave: Chuva intensa, Parâmetros hidrológicos, Recôncavo baiano
Study


Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, B. M., José, J. V., Duarte, S. N.,

Frizzone, J. A., & Perbone, A. (2014). Análise de

tendência temporal da precipitação diária máxima

no Estado de São Paulo. Water Resources

andIrrigation Management, 3 (1), 1-12.

Barreto, H. B. F., Pereira, G. M., Barreto, F. P.,

Freire, F. G. C., & Maia, P. M. E. (2014). Relação

intensidade-duração-frequência para precipitação

extrema Em Mossoró – RN. Global Scienceand

Technology, 7 (3), 103-109.

Blain, G. C., & Brunini, O. (2007). Caracterização

do regime de evapotranspiração real, em escala

decendial, no estado de São Paulo. Revista

Brasileira de Meteorologia, 22 (1), 75-82.

Farias, R. F. L., Alves, K. M. A. S., & Nóbrega, R.

S. (2012). Climatologia de ocorrência de eventos

extremos de precipitação na mesorregião do

Sertão Pernambucano. Revista Geonorte, Edição

Especial 2, 1 (5), 930-941.

Ferreira, D. F. (2003). Programa de análises

estatísticas e planejamento de experimentos

(SISVAR 5.0, Build 67) [statistical analysis

software]. Lavras: DEX/UFLA.

Freire, F. G. C., Oliveira, A. M. P., & Espínola

Sobrinho, J. (2012). Estudos das precipitações

máximas para o município de Mossoró/RN. Brasil.

Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 6 (1), 3-7.

Gumbel, E.J. (1958). Statistical of Extremes

(375p). New York: Columbia University Press.

Junqueira Jr., J. A., Mello, C. R., & Alves, G. J.

(2015). Eventos extremos de precipitação no Alto

Rio Grande, MG: Análise probabilística. Revista

Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19

(4), 301-308.

Lima, A. C. (2013). Perdas de solo, água e

nutrientes em cultivo de mandioca no Recôncavo

da Bahia (78f). Dissertação de Mestrado,

Universidade Federal Rural de Pernambuco,

Departamento de Engenharia Agrícola, Recife,

PE, Brasil.

Lima Filho, A. F., Coelho Filho, M. A., &

Heinemann, A. B. (2013). Determinação de

épocas de semeadura do feijão caupi no

Recôncavo Baiano através do modelo Cropgro.

Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e

Ambiental (Online), 17, 1294-1300.

Mello, C. R., & Silva, A. M. (2005). Métodos

estimadores dos parâmetros da distribuição de

Gumbel e sua influência em estudos hidrológicos

de projeto. Irriga, 10 (4), 318-334.

Mesquita W. O., Griebeler, N P., & Oliveira, L. F.

C. (2009).Precipitações máximas diárias

esperadas para as regiões central e sudeste de

Goiás. Pesquisa Agropecuária Tropical, 39 (2),

-81.

Peixoto, C. P., Machado, G. S., Borges, V. P.,

Alves, E. C. & Leal, G. M. F. (2012). Índices

fisiológicos de soja hortaliça em duas épocas de

semeadura no Recôncavo Sul Baiano. Scientia

Agraria Paranaensis, 11, 6-67.

Queiroz, A. T., & Assunção, W. L. (2013). Análise

geoestatística das precipitações na Fazenda

Letreiro (Uberlândia-MG). Brazilian Geographical

Journal: Geosciences and Humanities research

medium, 4 (2), 448-476.

Rezende, J. O. (2004). Recôncavo Baiano, berço

da Universidade Federal segunda da Bahia:

passado, presente e futuro (194p). Salvador:

P&A.

Santos, W. O., Mesquita, F. O., Batista, B. D. O.,

Batista, R. O., & Alves, A. S. (2014). Precipitações

máximas para o município de Mossoró de 1964 a

pela distribuição de Gumbel. Irriga, 9

(2), 207-213.

Silveira. P, S., Peixoto, C. P., Ledo, C. A. S.,

Passos, A. R., Borges, V. P., & Bloisi, L. F. M.

(2013). Fenologia e produtividade do amendoin

em diferentes épocas de semeadura no

recôncavo sul baiano. Bioscience Journal, 29,

-561.

Tucci, C. E. M (Org) (2009). Hidrologia: Ciência e

Aplicação (4ed). Porto Alegre: Editora da

UFRGS/ABRH.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line