Potencial fisiológico de aquênios de girassol em função do arranjo espacial das plantas e das condições edafoclimáticas

Francisco Thiago Coelho Bezerra, Alek Sandro Dutra, Lucas Kennedy Silva Lima, Camila Castro Santos

Resumo


Resumo: A semente é um dos componentes essenciais para a produção agrícola e o manejo da cultura
pode influenciar na qualidade da mesma. O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos dos arranjos espaciais
de plantas de girassol sobre o potencial fisiológico dos aquênios produzidos em locais edafoclimáticos
distintos. Os aquênios de girassol da variedade Embrapa 122 foram produzidos na Área Experimental do
Departamento de Fitotecnia, em Fortaleza,CE, e na Fazenda Experimental Vale do Curu, em Pentecoste-
CE, em função das combinações entre quatro espaçamentos entre linhas (0,30; 0,50; 0,70 e 0,90 m) e
quatro densidades de semeadura (30.000; 45.000; 60.000 e 75.000 plantas ha-1), obtendo-se 16 lotes por
área. O beneficiamento foi realizado de forma manual e os aquênios foram submetidos aos testes de
germinação e vigor (primeira contagem da germinação, condutividade elétrica, envelhecimento acelerado,
emergência de plântulas, comprimento da parte aérea e da raiz e massa da matéria seca da parte aérea e
da raiz das plântulas do teste de emergência). Os dados foram analisados de forma conjunta em relação ao
local de cultivo, sendo submetidos à análise de variância e os fatores quantitativos testados por meio de
regressão utilizando o teste F (p ≤ 0,05). O ambiente e os arranjos espaciais entre as plantas de girassol
interagiram sobre a qualidade fisiológica dos aquênios. As condições ambientais de Pentecoste, CE,
proporcionaram aquênios mais vigorosos devido, provavelmente, a interrupção das chuvas ao final do ciclo.
O aumento da competição intraespecífica afeta negativamente a qualidade fisiológica dos aquênios de
girassol cultivar Embrapa 122.


Palavras chave: Germinação, Helianthus annuus, Vigor.


Texto completo:

PDF

Referências


Alves, F. V., Sá Jr., A., Santana, D. G., & Santos,

C. M. (2012) Composição química e qualidade

fisiológica de sementes de girassol de plantas

submetidas à competição intraespecífica. Revista

Brasileira de Sementes, Londrina, 34 (3), 457-

2012.

Amaro, H. T. R., David, A. M. S. S., Carvalho, A.

J., Vieira, N. M. B., Aspiazú, I., & Assis, M. O.

(2014) Qualidade fisiológica de sementes de

cultivares de feijão em função de densidades

populacionais. Semina: Ciências Agrárias,

Londrina, 35 (3),1241-1248.

Bonacin, G. A., Rodrigues, T. de J. D., Cruz, M.

C. P., & Banzatto, D. A. (2009) Características

morfofisiológicas de sementes e produção de

girassol em função de boro no solo. Revista

Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 13

(2), 111-116.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e

Abastecimento. Secretaria de Defesa

Agropecuária. (2009) Regras para Análise de

Sementes (395p). Brasília: MAPA/ACS.

Braz, M. R. S., & Rossetto, C. A. V. (2009b)

Correlação entre testes para avaliação da

qualidade de sementes de girassol e emergência

das plântulas em campo. Ciência Rural, 39 (7),

-2009.

Braz, M. R. S., & Rossetto, C. A. V. (2009a)

Estabelecimento de plântulas e desempenho de

plantas em resposta ao vigor dos aquênios de

girassol. Ciência Rural, 39 (7).

Campos, M. S. de O., & Sader, R. (1987) Efeito

do potássio na produção e qualidade das

sementes de girassol. Revista Brasileira de

Sementes, 9 (3), 19-27.

Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio

Grande do Norte. (2009) Recomendações

técnicas para o cultivo do girassol. (Sistema de Produção, n.1, 68p). Natal: EMPARN.

Goya, P. G. R., & Sader, R. (1990) Efeito da

adubação fosfatada na qualidade de sementes de

girassol da cv. IAC-Anhandy. Revista Brasileira

de Sementes, 12 (3),17-27.

Guedes, R. S., Alves, E. D., Gonçalves, E. P.,

Viana, J. S., Medeiros, M. S., & Lima, C. R.

(2009) Teste de comprimento de plântula na

avaliação da qualidade fisiológica de sementes de

Erythrina velutina Willd. Semina: Ciências

Agrárias, 30 (4), 793-802.

Juliatti, F. C. (2010) Avanços no tratamento de

sementes. Informativo Abrates, Londrina, 20 (3),

-55.

Marcos-Filho, J. Testes de vigor: importância e

utilização. In: Krzyzanowski, F. C., Vieira, R. D., &

França Neto, J.B. (Ed.) (1999a) Vigor de

sementes: conceitos e testes (pp.1.1-1.20).

Londrina: ABRATES.

Marcos-Filho, J. Teste de envelhecimento

acelerado. In: Krzyzanowski, F. C., Vieira, R. D.,

& França Neto, J. B. (Ed.) (1999b) Vigor de

sementes: conceitos e testes (pp.3.1-3.21.).

Londrina: ABRATES.

Mondo, V. H. V., Cicero, S. M., Dourado-Neto, D.,

Pupim, T. L., & Dias, M. A. N. (2012) Vigor de

sementes e desempenho de plantas de milho.

Revista Brasileira de Sementes, 34 (1) 143- 55.

Nakagawa, J. Testes de vigor baseados no

desempenho das plântulas. In: Krzyzanowski,

F.C., Vieira, R. D., & França Neto, J.B (Ed.)

(1999) Vigor de sementes: conceitos e testes

(pp.2.1-2.241). Londrina: ABRATES.

Oliveira, A. S., Carvalho, M. L. M., Nery, M. C.,

Oliveira, J. A., & Guimarães, R. M. (2011). Seed

quality and optimal spatial arrangement of fodder

radish. Scientia Agricola, 68 (4), 417-423.

Oliveira, F. N., Torres, S. B., Vieira, F. E. R.,

Paiva, E. P., & Dutra, A. S. (2012). Qualidade

fisiológica de sementes de girassol avaliadas por

condutividade elétrica. Pesquisa Agropecuária

Tropical, 42 (3), 279-287.

Pádua, G. P., Zito, R. K., Arantes, N. E., França

Neto, J. B. (2010) Influência do tamanho das

sementes na qualidade fisiológica e na

produtividade da cultura da soja. Revista

Brasileira de Sementes, 32 (3) 9-16.

Radić, V., Vujaković, M., Jeromela, A. M., Mrda,

J., Miklič, V., Dušanić, N., & Balalić, I. (2009)

Interdependence of sunflower seed quality

parameters. Helia, 32 (50),157-164.

Santos, J. F., Peixoto, C. P., Almeida, J. A. R.,

Ribeiro, L. de O., & Santos, A. N. P. B. (2009)

Qualidade fisiológica de sementes de girassol

(Helianthus annuus L.). Enciclopédia Biosfera, 7

(13), 910-915.

Scheeren, B. R., Peske, S. T., Schuch, L. O. B.&

Barros, A. C. A. (2010) Qualidade fisiológica e

produtiva de sementes de soja. Revista Brasileira

de Sementes, 32 (3) 35-41.

Silva, H. P., Brandão Jr., D. da S., Neves, J. M.

G., Oliveira, A. S., Bárbara, C. N. V.& Duarte, R.

F. (2010) Maturação fisiológica do girassol para a

produção de sementes. In: Anais Congresso

Brasileiro de Mamona e Simpósio Internacional

de Oleaginosas Energéticas (pp. 2124-2128),

João Pessoa, Campina Grande: Embrapra

Algodão, 4, 1.

Silva, H. P., Brandão Jr., D. S., Neves, J. M. G.,

Sampaio, R. A., Duarte, R. F.& Oliveira, A. S.

(2011) Qualidade de sementes de Helianthus

annuus L. em função da adubação fosfatada e da

localização na inflorescência. Ciência Rural, 41 (

, 1160-1165.

Vieira, R. D., & Krzyzanowski, E. C. Teste de

condutividade elétrica. In: Krzyzanowski,, F. C.,

Vieira, R. D., & França Neto, J. B. (Ed.) (1999).

Vigor de sementes: conceitos e testes (pp.2.1-

21). Londrina: ABRATES.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line