Caracterização da taxa de aplicação e pontas de pulverização utilizadas no Estado de Mato Grosso

Rodolfo Glauber Chechetto, Alisson Augusto Barbieri Mota, Ulisses Rocha Antuniassi, Fernando Kassis Carvalho, Caroline Michels Vilela, Anne Caroline Arruda e Silva

Resumo


Resumo: O Estado de Mato Grosso é uma das regiões de maior importância para a agricultura nacional. Os pulverizadores são considerados equipamentos de grande valia na mecanização do processo produtivo e, dentre seus componentes, grande destaque é dado para as pontas de pulverização. O objetivo desse trabalho foi caracterizar a taxa de aplicação e os tipos das pontas de pulverização utilizadas nas aplicações de produtos fitossanitários no Estado de Mato Grosso. Para tanto foi realizada uma pesquisa de campo com a aplicação de um questionário em vinte e três cidades produtoras de soja localizadas no Estado do Mato Grosso, na Safra 2010/2011, tendo como público entrevistado os profissionais diretamente ligados à aplicação de produtos fitossanitários neste Estado. Os resultados mostraram que a maioria dos entrevistados (70,7%) utilizam pontas de jato plano para a pulverização de produtos fitossanitários e, desses entrevistados, 31,0% utilizam somente um tipo de ponta para todas as aplicações no decorrer da safra. A maior parte dos profissionais utiliza taxa de aplicação igual ou menor a 100 L ha-1 para as aplicações de inseticidas, herbicidas e fungicidas. Existe uma preferência pelas aplicações em menores taxas e pelo uso de gotas médias a finas nas aplicações no Estado de Mato Grosso.
Palavras chave: Taxa de aplicação, Pulverizadores, Produtos fitossanitários.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNIASSI, U. R. Tecnologia de aplicação de defensivos. Boletim de Pesquisa de Soja, v. 8, p. 165-177, 2004.

ANTUNIASSI, U. R., VEIGA, C. M., QUEIROZ, P. C. Caracterização tecnológica da aplicação de defensivos na cultura da soja em plantio direto no Brasil. Documentos - Embrapa Soja. Londrina, v.181, p.337-337, 2002.

BAYER, T.; COSTA, I. F. D.; LENZ, G.; ZEMOLIN, C.; MARQUES, L. N.; STEFANELO, M. S. Equipamentos de pulverização aérea e taxas de aplicação de fungicida na cultura do arroz irrigado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 2, p.192–198, 2011.

BAUER, F. C.; RAETANO, C. G.; PEREIRA, F. A. R. Padrões de distribuição volumétrica de pontas de pulverização de Jato plano 11002, com e sem indução de ar, sob diferentes espaçamentos e alturas. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 26, n. 2, p. 546-551, maio/ago. 2006.

BAUER, F. C.; PEREIRA, F. A. R. Fitossanidade e produção agrícola. In: BAUER, F. C.; VARGAS JÚNIOR, F. M. (Ed.) Produção e gestão agroindustrial. Campo Grande: UNIDERP, 2005. p. 44.

BOLLER, W.; MARCHRY, M. Efeito da pressão de trabalho e de pontas de pulverização sobre a eficiência de herbicidas de contato em soja. Engenharia Agrícola, v. 27, n. 3, p. 722-727, 2007.

BOLLER, W.; RAETANO, C. G. Bicos e pontas de pulverização de energia hidráulica, regulagens e calibração de pulverizadores de barras. In: ANTUNIASSI, U. R.; BOLLER, W. Tecnologia de aplicação para culturas anuais. Passo Fundo: Aldeia Norte; Fepaf, 2011. p. 51-82.

CHECHETTO, R. G.; ANTUNIASSI, U. R. Espectro de gotas gerado por diferentes adjuvantes e pontas de pulverização. Revista Energia na Agricultura, Botucatu, v. 27, n. 3, p. 130-142, julho-setembro, 2012.

CONAB. Levantamento de safra – Setembro 2013. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2014.

CONSTANTIN, J.; SALES, J. G. C.; MACIEL, C. D. G. Característica da deposição e distribuição da calda de pulverização na cultura da soja em estádio fenológico V6. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 32, n. 3, p. 530-541, maio/jun. 2012.

COSTA, A. G. F.; VELINI, E. D.; NEGRISOLI, E.; CARBONARI, C. A.; ROSSI, C. V. S.; CORRÊA, M. R.; SILVA, F. M. L. Efeito da intensidade do vento, da pressão e de pontas de pulverização na deriva de aplicações de herbicidas em pré-emergência. Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 25, n. 1, p. 203-210, jan./mar., 2007.

CUNHA, J. P. A. R.; MOURA, E. A. C.; SILVA JÚNIOR, J. L.; ZAGO, F. A.; JULIATTI, F. C. Efeito de pontas de pulverização no controle químico da ferrugem da soja. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 28, n. 2, p. 283-291, abr./jun. 2008.

CUNHA, J. P. A. R.; TEIXEIRA, M. M.; VIEIRA, R. F. Avaliação de pontas de pulverização hidráulicas na aplicação de fungicida em feijoeiro. Ciência Rural, Santa Maria, v. 35, n. 5, p. 1069-1074, set-out, 2005.

CUNHA, J. P. A. R.; REIS, E. F.; SANTOS; R. O. Controle químico da ferrugem asiática da soja em função de ponta de pulverização e de volume de calda. Ciência Rural, Santa Maria, v. 36, n. 5, p. 1360-1366, set-out. 2006.

CUNHA, J. P. A. R.; TEIXEIRA, M. M.; VIEIRA, R. F.; FERNANDES, H. C.; COURY, J. R. Espectro de gotas de bicos de pulverização hidráulicos de jato plano e de jato cônico vazio. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 39, n. 10, p. 977-985, out. 2004.

FAGGION, F.; ANTUNIASSI, U. R. Desempenho de pontas de pulverização quanto a indução de ar nas gotas. Energia na Agricultura, v. 25, n. 4, p. 72-82, 2010.

FARINHA, J. V.; MARTINS, D.; COSTA, N. V.; DOMINGOS, V. D. Deposição da calda de pulverização em cultivares de soja no estádio R1. Ciência Rural, Santa Maria, v. 39, n. 6, p. 1738-1744, set, 2009.

MATTHEWS, G. A. Application of pesticides to crops. London: Imperial College Press, 1999. 325 p.

MATTHEWS, G. A. Pesticide application methods. 3. ed. Oxford: Blackwell Science, 2000. 432 p.

OLIVEIRA, J. R. G.; FERREIRA, M. C.; ROMÁN, R. A. A. Diferentes diâmetros de gotas e equipamentos para aplicação de Inseticida no controle de Pseudoplusia includens. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 30, n. 1, p. 92-99, jan./fev. 2010.

PREZA, D. L. C.; NOGUEIRA, T. F.; AUGUSTO, L. G. S. Práticas na comercialização e na indicação de agrotóxicos em região produtora de hortaliças no Estado da Bahia. Magistra, Cruz das Almas, v. 23, n. 4, p. 168-174, out./dez., 2011.

PROCÓPIO, S. O.; PIRES, F. R.; MENEZES, C. C. E.; BARROSO, A. L. L.; CARGNELUTTI FILHO, A.; PACHECO, L. P.; VIEIRA, A. B.; ZANATTA, J. F. Utilização do herbicida 2,4-D na dessecação de manejo em lavoura de soja no sistema de plantio direto. Magistra, Cruz das Almas, v. 21, n. 3, p. 187-193, jul./set., 2009.

QUEIROZ, H. S.; REIS, E. F.; WRUCK, E. Influência da temperatura da calda nas características das gotas de pulverização hidráulica. Revista Agrotecnologia, Anápolis, v. 2, n. 2, p. 68-81, 2011.

RODRIGUES, A. C. P.; FILHO, S. I. B. S.; MARTINS, D.; COSTA, N. V.; ROCHA, D. C.; SOUZA, G. S. F. Avaliação qualitativa e quantitativa na deposição de calda de pulverização em Commelina benghalensis. Planta Daninha, Viçosa, v. 28, n. 2, p. 421-428, 2010.

ROMÁN, R. A. A.; CORTEZ, J. W.; FERREIRA, M. C.; OLIVEIRA, J. R. G. Cobertura da cultura da soja pela calda fungicida em função de pontas de pulverização e volumes de aplicação. Scientia Agraria, v. 10, p. 223-232, 2009.

SCHMIDT, M. A. H. Deposição da calda de pulverização na cultura da soja em função do tipo de ponta e do volume aplicado. 2006. 47 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2006.

SILVA, O. C. Tecnologia de aplicação de fungicidas. In: CANTERI, M. G.; PRIA, M. D.; SILVA, O. C.(Eds.). Principais doenças fúngicas do feijoeiro. Ponta Grossa: UEPG, 1999. p. 127-137.

SOUZA, R. T.; CASTRO, R. D.; PALLADINI, L. A. Depósito de pulverização com diferentes padrões de gotas em aplicações na cultura do algodoeiro. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 27, n. esp., p. 75-82, jan. 2007.

SOUZA, L. A.; CUNHA, J. P. A. R.; PAVANIN, L. A. Deposição do herbicida 2,4-D Amina com diferentes volumes e pontas de pulverização em plantas infestantes. Revista Ciência Agronômica, v. 43, n. 1, p. 78-85, jan-mar, 2012.

VIANA, R. G.; FERREIRA, L. R.; TEIXEIRA, M. M.; CECON, P. R.; SOUZA, G. V. R. Deposição de gotas no dossel da soja por diferentes pontas de pulverização hidráulica e pressões de trabalho. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v. 16, n. 4, p. 428-435 Out./Dez., 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line