Avaliação do tempo de armazenamento refrigerado na brotação e crescimento de plantas de taioba

Cristina Soares de Souza, Fernando Luiz Finger

Resumo


Resumo: A taioba é uma hortaliça folhosa de propagação exclusivamente vegetativa. O armazenamento das mudas em condições de baixa temperatura pode ser utilizado visando sua comercialização para mercados distantes. Objetivou-se com esse trabalho avaliar o efeito da temperatura e do período de armazenamento a frio sobre o crescimento das mudas de taioba cultivadas em casa de vegetação. Três variedades de taioba (Comum, Roxa e BGH/UFV 5932) foram multiplicadas por micropropagação e aclimatadas em casa de vegetação, seguido de armazenamento a 10 ºC, após a remoção da parte aérea, sistema radicular e brotações laterais. Dez mudas de cada variedade foram embaladas em sacos de
polietileno de baixa densidade perfurados, permanecendo armazenados por sete e 14 dias a 10 ºC. As mudas foram transplantadas para vasos em casa de vegetação e, três meses após, foi avaliado o crescimento. A exposição das plantas de taioba, por sete dias de armazenamento a temperatura de 10 ºC antes do replantio foi suficiente por determinar maior crescimento das brotações laterais. O pré-tratamento com frio, por sete dias, promoveu maior crescimento das plantas de taioba, Comum e Roxa, sendo necessária exposição de 14 dias do genótipo BGH/UFV 5932, para maior efeito sobre a expansão da parte aérea. O armazenamento a 10 ºC é eficaz na expansão da área foliar em plantas de taioba, principalmente se prolongado por 14 dias, com exceção da variedade Comum, que demanda menor período refrigerado. A diversidade dos acessos é indicativa do potencial genético e da melhor exploração agronômica do germoplasma de taioba.


Palavras chave: Xanthosoma sagittifolium, aclimatação ao frio, armazenamento.


Texto completo:

PDF

Referências


ARNOULD, M. A.; YOUNG, E. Growth and protein

content of apple in response to root and shoot

temperature following chilling. HortScience, v. 25,

p. 1583-1588, 1990.

BENINCASA, M. M .P. Análise de crescimento

de plantas: noções básicas. Jaboticabal: FUNEP,

42p.

CHAMPAGNAT, P. Dormance des bourgeons

chez les végétaux ligneux. In: CÔME, D. (Ed.).

Les végétaux et le froid. Paris: Hérmann,

éditeurs des sciences et des arts, 1992. p. 203-

CHAPMAN, T. A note on the measure ment of

leaf area of the tannia (Xanthosoma

sagittifolium). Tropical Agriculture, v. 41, p. 351-

, 1964.

COTTIGNIES, A. Dormance. Annales dês

Sciences Naturelles, v. 8, p. 93-142, 1987.

DAMATTA, F. M.; RAMALHO, J. D. C. Impacts of

drought and temperature stress on coffee

physiology and production: a review. Brazilian

Journal of Plant Physiology, v. 18, p. 55-81,

FINGER, F. L.; VIEIRA, G. Controle da perda

pós-colheita de água em produtos hortícolas.

Caderno Didático 19. Viçosa: UFV, 2007. 29p.

LARCHER, W. Physiological plant ecology. 3

ed. Berlin: Springer, 1995. 506p.

LEVITT, J. Responses of plants to

environmental stresses. Chilling, freezing and

high temperature stresses. 2 ed. New York:

Academic, Press. 1980. 497p

MANGAN, F.; MENDONÇA, R. U.; MOREIRA, M.;

NUNES, S. V.; FINGER, F. L.; BARROS, Z. J.;

GALVÃO, H.; ALMEIDA, G. C.; ANDERSON,

M.D. Production and marketing of vegetables for

the ethnic markets in the United States.

Horticultura Brasileira, v. 26, p. 6-14, 2008.

MANGAN, F.; MOREIRA, M.; BARROS, Z.;

FERNANDES, C.; MATEUS, R.; FINGER, F.;

KOENING, A.; BONANNO, R.; AUTIO, W.;

ALVARADO, M.; WICK, R. Vegetable notes: For

vegetable farmers in Massachusetts, v. 21, p. 1-

, 2010.

METIVIER, J.R. Dormência e Germinação. In:

FERRI, M. G. (Ed.) Fisiologia Vegetal 2. São

Paulo: EPU, 1985. p. 343-392.

MURASHIGE, T.; SKOOG, F. A. A revised

medium for rapid growth and biossays with

tabacco tissue culture. Physiologia Plantarum,

v.15, p.473-497, 1962.

NIEMENAK, N.; NOAH, A. M.; OMOKOLO, D.N.

Micropropagation of cocoyam (Xanthosoma

sagittifolium L. Schott) in temporary immersion

bioreactor. Plant Biotechnology Reports, v. 7, p.

-390, 2013.

OMOKOLO, N.D.; BOUDJEKO, J. J.;

TAKADONG, T. In vitro tuberization of

Xanthosoma sagittifolium L. Schott: effect of

phytohormones, sucrose, nitrogen and

photoperiod. Scientia Horticulturae, v. 98, p.

-345, 2003.

PEREIRA, J.E.S.; FORTES, G. R .L.; DA SILVA,

J.B. Effect of gibberellic acid on one-year apple

rootstock plant growth in the greenhouse.

HortScience, v. 34, p. 493, 1999.

PICERNO P.; MENCHERINI, T.; LAURO, M. R.;

BARBATO, F.; AQUINO, R. Phenolic constituents

and antioxidant properties of Xanthosoma

violaceum leaves. Journal of Agricultural and

Food Chemistry, v .51, p. 6423-6428, 2003.

SAEG - Sistema para Análises Estatísticas,

Versão 9.1: Fundação Arthur Bernardes - UFV –

Viçosa, 2007.

SAMA, A. E.; HUGHES, H. G.; ABBAS, M.S.;

SHAHBA, M.A. An efficient in vitro propagation

protocol of cocoyam (Xanthosoma sagittifolium (L)

Schott. The Scientific World Journal, ID

10p. doi: 10.1100/2012/346595, 2012.

SEGANFREDO, R.; FINGER, F. L.; BARROS,

R.S.; MOSQUIM, P.R. Influência do momento de

colheita sobre a deterioração pós-colheita em

folhas de taioba. Horticultura Brasileira, v.19,

p.316-319, 2001.

SILVA, R. A. N. Produção e comercialização de

hortaliças presentes na culinária brasileira no

Estado de Massachusetts/EUA. 2007.

Disponível em:

df>. Acesso em: 01 jan. 2012.

SOUZA, C. S.; FINGER, F. L.; CORREIA, T. D.;

SCHUELTER, A. R.; MANGAN, F.; BARROS, Z.

J. Micropropagation of taioba (Xanthosoma

sagittifolium (L.) Schott) accessions. Proceedings

of the Tropical Region - American Society for

Horticultural Science, v. 52, p.16-19, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line