Germinabilidade de Myracrodruon urundeuva sob efeito de extratos foliares alelopáticos

Jamile da Silva Oliveira, Heliab Bonfim Nunes, Manuelly Andressa Borges Battisti de Oliveira, Simoni Aparecida Almeida Ribas, Fábio Del Monte Cocozza

Resumo


Resumo: Devido à importância das interações alelopáticas que podem ocorrer entre as espécies vegetais em sistemas naturais ou cultivados, objetivou-se avaliar o potencial alelopático do pequi, murici e pau-santo sobre o percentual de germinação e o índice de velocidade de emergência de aroeira. O experimento foi instalado no delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 4 x 2, sendo 3 espécies de plantas nativas utilizadas mas um controle, pequi, murici e pau-santo e 2 tipos de substratos (estéril e não estéril)
com 4 repetições. Para obtenção dos extratos, utilizaram-se folhas adultas das espécies; e para o teste de germinação utilizou-se diásporos, de aroeira. Os resultados mostraram efeitos alelopáticos das espécies utilizadas sobre a aroeira, indicando que em áreas naturais destas espécies podem influenciar na
distribuição da aroeira. Os extratos das espécies vegetais afetam negativamente a germinabilidade da aroeira, tendo efeito mais pronunciado em substrato estéril.


Palavras chave: Bioma Cerrado, Fisiologia de sementes, Ecofisiologia.


Texto completo:

PDF

Referências


FERREIRA A. G. Interferência: competição e

alelopatia. In: FERREIRA AG, BORGHETTI F,

editores. Germinação do básico ao aplicado.

Porto Alegre: Artmed, 2004. p.262-251.

FERREIRA A. G.; AQUILA M. E. A. Alelopatia:

uma área emergente na ecofisiologia. Revista

Brasileira de Fisiologia Vegetal, (Edição

Especial): v. 12, n. 1, p. 175-204, 2000.

FERREIRA D. F. Sistema de análises de

variância para dados balanceados. Lavras:

UFLA, (SISVAR 4.2. pacote computacional),

FIGUEIREDO M. E. et al. Avaliação química e da

atividade antidiarréica das folhas de Byrsonima

cinera DC. (Malpighiaceae). Revista Brasileira

de Ciências Farmacêuticas, v. 41, n. 1, 2005.

KAUR S. et al. Phytotoxic effects of volatile oil

from Artemisia scoparia against weeds and its

possible use as a bioherbicide. Industrial Crops

and Products, v. 32, n. 1, p. 54-61, 2010.

LORENZI H. Árvores brasileiras: manual de

identificação e cultivo de plantas arbóreas

nativas do Brasil. Plantarum Ltda, Nova Odessa.

p. 324. 1992.

MAGUIRE J. D. Speed of germination aid in

selection and evaluation for emergence and

vigour. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 177-176,

MARASCHIN-SILVA F.; AQUILA M. E. A.

Contribuição ao estudo do potencial alelopático

de espécies nativas. Revista Árvore, v. 30, n. 4,

p. 547-555, 2006.

MENDONÇA R. C. et al. “Flora vascular do

cerrado”. In SANO SM, ALMEIDA S P. Cerrado:

Ambiente e flora. Planaltina, DF. EMBRAPA,

p.287-556.

MORAES P. V. D. et al. Potencial alelopático de

extratos aquosos de mourisco (Fogopyrum

esculentum Moench) na germinação e

crescimento inicial de plantas daninhas. Revista

Tropical, v. 4, n. 3, p. 9-17, 2010.

OLIVEIRA J. S. et al. Potencial alelopático de

espécies arbóreas nativas do cerrado, Revista de

Biologia e Ciências da Terra, v. 12, n. 1, p. 7-11,

OLIVEIRA J. S.; NUNES H. B.; SOUZA A. X.

Avaliação da taxa de germinação e do

desenvolvimento de Barriguda (Cavanillesia

arborea) com uso de substratos alternativos,

Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 11,

n. 1, p. 83-33, 2011.

OLIVEIRA P. E.; SILVA J. C. S. “Reproductive

biology of two species of Kielmeyera (Guttiferae)

in the cerrados of Central Brazil”. J. Trop. Ecol.

v.9, 1993.

PINHEIRO L. et al. Estudo fitoquímico e avaliação

da atividade moluscicida da Kielmeyera variabilis

Mart (Clusiaceae). Química Nova, v. 26, n. 2,

RICE E. L. Allelopathy. 2.ed. New York:

Academic Press, 1984.

SANNOMIYA M. et al. Flavonoids and

antiulcerogenic activity from Byrsonima crassa

leaves extracts. Journal of Chromatography A,

SANTOS FILHO R.; FERREIRA L. A.; GOUVÊA

C. M. C. P. Protective action against chemicalinduced

genotoxicity and free radical scavenging

activities of Stryphnodendron adstringens

(“barbatimão”) leaf extracts. Brazilian Journal of

Pharmacognosy, v. 21, n. 6, p. 1000-1005, 2011.

SILVA H. L. et al. Determinação de espécie

indicadora e comparação de genótipos de

girassol quanto ao potencial alelopático. Planta

Daninha, v. 27, n. 4, p. 663-655, 2009.

SOARES NETO J. P. et al. Tendências das 339

séries de temperaturas, máxima, média e mínima

do município de Barreiras no Oeste da 340 Bahia.

Revista de Biologia e Ciência da Terra, v.11, n.

, p. 40-47, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line