Fatores que afetam a sobrevivência de Aspergillus niger e sua relação com a podridão vermelha do caule do sisal

Cristiano Oliveira do Carmo, Priscila Fonseca Tavares, Rafael Mota da Silva, Caroline Lopes Damasceno, Jefferson Oliveira Sá, Ana Cristina Fermino Soares

Resumo


Resumo: A podridão vermelha do sisal (Agave Sisalana) causada pelo fungo Aspergillus niger é o principal problema fitossanitário, que vem contribuindo para o declínio na produtividade do sisal na Bahia, Brasil. O uso dos resíduos de sisal vem sendo recomendado para a adubação da lavoura, mas essa prática pode contribuir para a proliferação da podridão vermelha. O objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência de A. niger em dois solos da região produtora de sisal na Bahia e a utilização de extrato aquoso do resíduo no controle alternativo da podridão vermelha. Os experimentos consistiram da avaliação da sobrevivência de A. niger, pela técnica de quantificação das unidades formadoras de colônias (UFC), em resíduo de sisal fresco, seco fermentado e seco não fermentado e em dois tipos de solo com a incorporação desses resíduos. Extratos aquosos dos resíduos foram avaliados quanto ao efeito na germinação de esporos de A. niger e no controle da podridão vermelha em mudas de sisal. O solo argiloso com resíduo de sisal fresco favoreceu o aumento da população de A. niger. Entretanto, o resíduo fermentado e o seco não fermentado inibiram o desenvolvimento do fungo. O residuo fresco de sisal estimulou a sobrevivência e a germinação de esporos de A. niger e causou o aumento na severidade da doença. As plantas de sisal tratadas com o extrato aquoso de resíduo fermentado, na concentração de 45%, apresentaram o menor grau de severidade da doença. O resíduo fresco favorece o crescimento de A. niger e a severidade da podridão vermelha. Entretanto, o mesmo resíduo quando fermentado inibe este fungo e promove o controle da podridão vermelha.

 Palavras chave: Agave Sisalana - Doenças, Fungos, Controle alternativo


Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, K. C. L. M. (2010). Epidemiologia da podridão vermelha do sisal no Estado da Bahia. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA, Brasil.

Almeida, O. A. (1999). Informações meteorológicas do CNP: mandioca e fruticultura tropical. (Documento, n.34). Cruz das Almas-Ba: Embrapa.

Berjak, P. (1987). Stored seeds: The problems caused by micro-organisms (with particular reference to the Fungi). In: Nasser, L. C., Wetzel, M. M., & Fernandes, J. M. Advanced International Course on Seed Pathology (pp.38-50). Passo Fundo. ABRATES.

Coutinho, W. M., et al. (2006). Bole rot of sisal caused by Aspergillus niger in Brazil. Fitopatologia Brasileira, 31(6), 605.

Damasceno, J. C. A., et al. (2015). Resíduo líquido de sisal (Agave sisalana Perrine) no controle do nematoide das galhas no tomateiro. Horticultura Brasileira, 33 (2), 155-162. https://doi.org/10.1590/hb.v33i2.302

Gama, E. V. S., et al. (2015). Homeopathic drugs to control red rot disease in sisal plants. Agronomy for Sustainable Development, 35 (2), 649-656.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, 30 (3), 1-83.

Jesus, F. N., et al. (2015). Control of the banana burrowing nematode using sisal extract. Agronomy for Sustainable Development, 35(2), 783-791. doi 10.1007/s13593-014-0264-z

Kirk, P., et al. (2008). Ainsworth & Bisby’s Dictionary of the Fungi (10th edition). UK: CAB International.

Lima Neto, A. J., et al. (2013). Biofertilizante bovino, cobertura morta e revestimento lateral dos sulcos na produção de pimentão. Revista Caatinga, 26 (3), 1-8.

Murali, S., & Morchhale, R. K. (2014). Sisal (Agave sisalana) Fibre Extraction for Sustainable Employment Generation in India. Technologies for Sustainable Rural Development: Having Potential of Socio-Economic Upliftment (pp. 184-196). New Delhi: Allied Publishers Pvt. Ltd.

Ribeiro, B. D., et al. (2015). Use of micellar extraction and cloud pointpreconcentration for valorization of saponins fromsisal (Agave sisalana) waste. Food and bioproducts processing, 9 4, 601- 609.

Sá, J. O. (2009). Patogênese de Aspergillus niger e biocontrole da podridão vermelha do sisal por Trichoderma spp. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA, Brasil.

Sá, J. O. (2014). Controle biológico da podridão vermelha do Sisal (Agave sisalana Perrine) com Trichoderma ssp. e Actinobactérias. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA, Brasil.

Schuster, E et al. (2002). On the safety of Aspergillus niger – a review. Applied Microbiology and Biotechnology, 59 (4-5), 426-435.

Schwan-Estrada, K. R. F et al. (2000). Uso de extratos vegetais no controle de fungos fitopatogênicos. Revista Floresta, 30 (1-2), 129-137.

Silva, J. R. Q. (2012). Agente etiológico da podridão vermelha do sisal: Densidade populacional, sobrevivência, caracterização genética e de agressividade. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA, Brasil.

Soares, A. C. F., et al. (2006). Aspergillus niger como agente causal de manchas foliares e podridão do pseudocaule do sisal. Anais do Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Salvador, BA, Brasil, 39.

Soares, A. C. F., et al. (2007). Extrato do resíduo fresco e seco do sisal no controle de Aspergillus niger agente causal da podridão vermelha do sisal. Fitopatologia Brasileira, 32, 218.

Souza, L. S. S. (2010). Extratos aquosos de alho (Allium sativum L.) e sisal (Agave sisalana Perrine) no controle de Aspergillus niger e da podridão vermelha do sisal. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA, Brasil.

Souza, L. S. S., & Soares, A. C. F. (2013). Extrato aquoso de alho (Allium sativum l.) no controle de Aspergillus niger causador da podridão vermelha em sisal. Tecnológica, 17 (2), 124-128.

Torres, A. L., et al. (2006). Efeito de extratos aquosos de Azadirachta indica, Melia azedarach e Aspidosperma pyrifolium no desenvolvimento e oviposição de Plutella xylostella. Bragantia, 447-457.

Zhang, X., et al. (2014). Isolation, structural characterization and antioxidant activity of a neutral polysaccharide from Sisal waste. Food Hydrocoll. 39, 10–18. http://dx.doi.org/10.1016/j.foodhyd.2013.12.012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line