Relações entre componentes de rendimento e características morfológicas de milho

Tadeu Vilela de Souza, Camila Marques Ribeiro, João Domingos Scalon, Fernando Lisboa Guedes

Resumo


Resumo: O objetivo desse trabalho foi identificar por meio da análise de trilha, quais caracteres da planta de milho possuem maior contribuição para a sua produtividade de grãos, visando identificar os caracteres mais indicados à seleção indireta para a produtividade, pois este é um caráter complexo e resultante da expressão e associação de diferentes componentes. O experimento foi conduzido na fazenda experimental da Universidade Federal de Lavras,em Lavras. Foram escolhidas cinco linhagens de milho do Programa de Melhoramento da UFLA, obtidas pela autofecundação de híbridos existentes no mercado, obtendo-se 15 tratamentos genéticos. O delineamento utilizado foi o de blocos completos ao acaso com quatro repetições. Os seguintes caracteres foram avaliados: altura de planta (AP), altura de espiga (AE), diâmetro do colmo (DC), peso de 100 grãos (P100), peso total de grãos (PT), número de grãos por planta (NGP) e produção de grãos por planta (PROD). A análise de trilha mostrou que o peso de 100 grãos foi o componente primário que apresentou o maior efeito direto sobre a produção de grãos (PROD), sendo assim, o mais indicado para seleção indireta para a PROD. A mesma análise mostrou que a altura de espiga foi o componente secundário mais influente na variação da PROD.

 Palavras chave: Análise de trilha, Zea mays L., Multicolinearidade.


Texto completo:

PDF

Referências


BALBINOT JR, A. A. et al. Contribuição de componentes de rendimento na produtividade de grãos em variedades de polinização aberta de milho. Revista Brasileira de Agrociência. Pelotas, v. 11, n. 2, p. 161-166, 2005.

BELLO, O. B. et al. Correlation and path coefficient analysis of yield and agronomic characters among open pollinated maize varieties and their hybrids in a diallel cross. African Journal of Biotechnology, v. 9, n. 18, p. 2633-2639, 2010.

CARVALHO, C. G. P. et al. Path analysis under multicollinearity in S0 x S0 maize hybrids. Crop Breeding and Applied Biotechnology, v.1, n.3, p.263-270, 2001.

CHURATA, B. G. M.; AYALA-OZUNA, J. T. Correlações genotípica, fenotípica e de ambiente e análise de trilha em caracteres avaliados no composto de milho (Zea mays) arquitetura. Revista Ceres, Viçosa, MG, v. 43, n. 249, p. 628-636, 1996.

ESPÓSITO, D. C. Análise de trilha em dados de produção e tecnológicos de cana-de-açúcar. 2010. 102 p. Dissertação (Mestrado em Estatística Aplicada e Biometria) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.

FISHER, R. A. Statistical methods for research workers. . ed. London: Oliver e Boyd, 1932. 307 p.

GOLDSMITH, J. R. Paths of association in epidemiological analysis: appliconfounding factor, since no statistical test or procedure cation to health effects of environmental exposures. International Journal of Epidemiology, Oxford, v. 6, n. 4, p. 391-399, 1977.

HOERL, A. E.; KENNARD, R. W. Ridge regression: applications to nonorthogonal problems. Technometrics, Washington, v. 12, n. 1, p. 69-82, 1970.

IVANOVIC, M.; ROSIC, K. Path coefficient analysis for three stalk traits and grain yield in maize (Zea mays L.). Maydica, Bergamo, v. 30, p. 233-239, 1985.

KLINE, R. B. Principles and practice of structural equation modeling. ed. New York: The Guilford Press, 2011. 427 p.

LENG, E. R. Effects of heterosis on the major components of grain yield in corn. Agronomy Journal, Madison, v. 46, n. 11, p. 502-506, 1954.

LOPES, S. J. et al. Relações de causa e efeito em espigas de milho relacionadas aos tipos de híbridos. Ciência Rural, Santa Maria, v. 37, n. 6, p. 1536-1542, 2007.

MONTGOMERY, D. C.; PECK, E. A.; VINNING, G.G. Introduction to linear regression analysis. 5nd ed. New York: John Wiley, 2012. 672 p.

MOHAMMADI, S.A.; PRASANNA, B.M.; SINGH, N.N.. Sequential path model for determining interrelationship among grain yield related characters in maize. Crop Science, Madison, v.43, n.5, p.690-1697, 2003.

OLIVEIRA, E. D. et al. Correlações genéticas e análise de trilha para número de frutos comerciais por planta em mamoeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 45, n. 8, p. 855-862, ago. 2010.

OTTAVIANO, E.; CAMUSSI, A. Phenotypic and genetic relationships between yield components in maize. Euphytica, Milano, v. 30, n. 3, p. 601-609, 1981.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2013. Disponível em: http://www.r-project.org. Acesso em: 10 out. 2013.

RIBEIRO, C. B. Caracteres que explicam a heterose na produtividade de grãos de milho. 2012. 64 p. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.

RIOS, S. A. et al. Análise de trilha para carotenoides em milho. Revista Ceres, Viçosa, MG, v. 59, n. 3, p. 368-373, 2012.

RODRIGUES, G. B et al. Análise de trilha de componentes de produção primários e secundários em tomateiro do grupo Salada. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 45, n. 2, p. 155-162, 2010.

RUFINO, C. A. et al. Desempenho de genótipos de milho submetidos ao déficit hídrico no estádio vegetativo. Magistra, Cruz das Almas-BA, v. 24, n. 3, p. 217-225, 2012.

STEEL, R. G. D.; TORRIE, J. H.; DICKEY, D. A. Principles and procedures of statistics: a

biometrical approach. ed. New York: McGraw Hill Book, 1997. 666 p.

TOEBE, M.; CARGNELUTTI FILHO, A. Não normalidade multivariada e multicolinearidade na análise de trilha em milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 48, n. 5, p. 466-477, 2013.

VASCONCELOS, A. G. G.; ALMEIDA, M. V. A.; NOBRE, F. F. The path analysis approach for the multivariate analysis of infant mortality data. Annals of Epidemiology, New York, v. 8, n. 4, p. 262-271, 1998.

WRIGHT, S. Correlation and causation. Journal of Agricultural Research, Washington, v. 20, n. 7, p. 557-585, 1921.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line