Quantificação e Distribuição espacial de fitonematóides em uma área hortícola no Oeste da Bahia

Marcelo de Souza Rocha, Heliab Bonfim Nunes, Liliane dos Santos Sardeiro

Resumo


Resumo: Mediante levantamento e conhecimento das populações de nematóides distribuídos em um solo agrícola é possível antecipar os métodos de manejo mais eficientes e economicamente viáveis para reduzi-las a um nível abaixo do nível de dano econômico. Logo, objetivou-se com esse trabalho verificar a distribuição espacial e realizar a quantificação de fitonematóides em área de cultivo com hortaliças no oeste da Bahia. O experimento foi conduzido em área experimental, subdividida em três trajetos lineares de 16 m de comprimento cada, onde foram coletadas amostras a cada metro na camada de 0 a 20 cm totalizando 48 amostras individuais sendo 16 de cada linha e 1 amostra composta em cada linha sendo todas as amostras de 100 cm3. Foi possível constatar que o gênero Helicotylenchus spp., presente em 62,5 % das amostras está distribuído mais uniformemente que o gênero Meloidogyne spp., presente em 25 % das amostras nas culturas amostradas e que o processo de coleta por amostras composta mostrou-se eficiente e representativo na estimação do número de nematóides por 100 cm3 de solo.  

 

Palavras chave: Meloidogyne spp, Helicotylenchus spp, Fitossanidade.


Texto completo:

PDF

Referências


Amorim, L. Rezende, J. A. M., & Bergamin Filho,. A., (2011). Manual de Fitopatologia, Princípios e Conceitos. (v 1, . 704p). São Paulo: Agronômica Ceres.

Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas. (2016). Brasil: Cadeia produtiva de hortaliças gira, por ano, R$ 55 bilhões. Recuperado em março, 2019, de http://www.organicsnet.com.br/2016/10/brasil-cadeia-produtiva-de-hortalicas-gira-por-ano-r-55-bilhoes/.

Carvalho, J. P., et al. (2011). Diversidade de fitonematóides em áreas nativas e de agricultura no cerrado baiano. Revista Magistra, 23, 262-267.

Cardoso, M. O. (2010). Relações entre a Nematofauna e o Grau de Compactação do Solo em Área Cultivada com Cana-de-açúcar e em Remanescente de Floresta Atlântica. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Fiorini, C. V. A., et al. (2005). Avaliação de populações F2 de alface quanto à resistência aos nematóides das galhas e tolerância ao florescimento precoce. Horticultura Brasileira, Brasília, 23 (2), 299-302.

Goulart, A. M. C. (2010). Analise nematológica: Importância e princípios gerais (Documento n. 299, 47p). Planaltina – DF: Embrapa Cerrados.

Gonçalves, L. A. (2014). Levantamento e manejo de nematoides fitoparasitas em áreas cultivadas com olerícolas na região centro-oeste do estado de São Paulo. Botucatu: Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas, Botucatu, SP, Brasil..

Jenkins, W. R. (1964). A rapid centrifugal-flotation technique for separating nematodes from soil Plant Disease Reporter, 48, .692

Krzyzanowski, A. A., et al. (2001). Levantamento de Espécimes e Raças de Meloidogyne em Cafeeiros no Estado do Paraná. Anais do Simpósio de Pesquisas dos Cafés do Brasil, 2.

Lopes, C. M. L. (2015). Populações de nematoides fitoparasitas em áreas de cultivo de soja, algodão, café e de vegetação nativa do Cerrado na região Oeste da Bahia, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Nickle, W.R. (1991). Manual of agricultural nematology (1035p). New York: Marcel Dekker.

Oliveira, J. J. L., et al. (2013). Levantamento populacional de nematóides no consórcio de banana ‘Prata-Anã’ com fruteiras no Norte de Minas. Resumo do Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica. Belo Horizonte: EPAMIG, 10.

Ribeiro, N. R., et al. (2002). Avaliação da Resistência de Genótipos de Milho, Sorgo e Milheto A Meloidogyne Javanica E. M. Icognita

Raça 3. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, .1(3),102-103.

Rosa, J. M. O., Westerich, J. N., & Wilcken, S. R. S. (2013). Nematoides das Galhas em Áreas de Cultivo de Olerícolas no Estado de São Paulo. Nematologia Brasileira, 37 (1-2), 15-19.

Silva, F. A. S. E., & Azevedo, C. A. V. (2009). Principal Components Analysis in the Software Assistat-Statistical Attendance. Anais World Congress on Computers in Agriculture. Reno-USA: American Society of Agricultural and Biological Engineers, 7

Tihohod, D., Ferraz, L. C. C. B., Barbosa, J. C., & Volpe, C. A. (1992). Manejo de Fitonematóides do Algodoeiro: 2 distribuição Espacial das Espécies. Revista de Nematologia Brasileira, 16, 1 - 2.

Tihohod, D. (1993). Nematologia Agrícola Aplicada (372 p). Jaboticabal: FUNEP.

Tihohod, D. (1997). Guia prático para a identificação de fitonematóides (246p). Jaboticabal: FCAV.

Zambiasi, T. C., Belot, J. L., & Fuhrmann, E. (2007). Identificação de nematóides fitoparasitos predominantes no Estado do Mato Grosso, na Cultura do Algodoeiro. Anais do Congresso Brasileiro do Algodão, Uberlândia, MG, Brasil, 6.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line