Diversidade e hábitos alimentares das aves de rapina na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Renan Luiz Albuquerque Vieira, Hanilton Ribeiro de Souza, Dinéia Pires-Santos, Rennan Herculano Rufino Moreira, Maria Vanderly Andrea

Resumo


Resumo: As aves de rapina ocupam o topo da cadeia alimentar, sendo responsáveis pelo equilíbrio e controle de roedores e insetos em ambientes urbanos. Tendo em vista a importante função destas aves para o ambiente em que estão inseridas, objetivou-se por meio deste estudo investigar os hábitos alimentares e a diversidade de aves de rapina presente no Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Para coleta de dados foram utilizados binóculo 20x50, máquina fotográfica digital SONY (8X) e planilha de campo. Para a identificação das espécies, adotou-se a nomenclatura proposta pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO, 2014). Para registro das aves e de seus hábitos alimentares, foram realizadas duas observações semanais, no período matutino (06h às 11h) e noturno (17h às 20h) de março a outubro de 2015. Onze espécies de aves de rapina, classificadas em cinco famílias, foram registradas no Campus da UFRB. Em termos de frequência de dieta, os artrópodes foram mais abundantes, sobretudo os coleópteros e ortópteros. Constatou-se que uma diversidade significativa de espécies de aves de rapina frequentam o Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, sendo este um local importante para a conservação da avifauna na região.

Palavras chave: Antropização, Forrageamento, Rapinantes.


Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque, J. L. (1995). Observations of Rare Raptors in Southern Atlantic Rainforest of Brazil. Journal of Field Ornithology, 66 (3), 363-369.

Barth, B. J., Fitzgibbon, S. I., & Wilson, R. S. (2015). New urban developments that retain more remnant trees have greater bird diversity. Landcape and Urban Planning,136, 122/129.DOI: https://doi.org/10.1016/j.landurbplan.2014.11.003

Becker, R. G., Paise, G., & Pizo, M. A. (2013). The structure of bird communities in areas revegetated after mining in southern Brazil. Revista Brasileira de Ornitologia, 21 (4), 221-234.

Begon, M., Townsend C. R., & Harper, L. (2007). Ecologia: de indivíduos a ecossistemas (4 ed., 341p). São Paulo: Artimed.

Bennett, R. E., Darby, P. C., & Karunaratne, L. B. (2006). Foraging patch selection by Snail Kites in response to vegetation structure and prey abundance and availability. Waterbirds,29 (1), 88-94. DOI: https://doi.org/10.1675/1524-4695(2006)29[88:FPSBSKorgeous2.0.CO;2

Cazassa, R. S., Pereira, A., Silva, E. T., & Souza, R. F. (2016). Aves como potenciais dispersoras de sementes de Euterpe edulis (Arecaceae) em um fragmento de Mata Atlântica em Piedade de Caratinga, Minas Gerais. Revista de ciências, 7(1), 95-109.

Cabral, J. C., Granzinolli, M. A. M., & Motta-Junior, J. C. (2006). Dieta do quiriquiri, Falco sparverius (Aves: Falconiformes), na Estação Ecológica de Itirapina, SP. Revista Brasileira de Ornitologia, 14 (4), 393- 399.

Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. (2014). Lista das aves do Brasil (11 ed.). Florianopolis: CBRO. Recuperado de http://www.cbro.org.br/PDF/avesbrasil_2014jan1.pdf.

Cockle, K. L., Martin, K., Drever, M. C. (2010). Supply of treeholes limits nest density of cavity-nesting birds in primary and logged subtropical Atlantic forest. Biological Conservation, 143 (11), 2851-2857. DOI: 10.1016 / j.biocon.2010.08.002

Develey, P. F., & Endrigo, E. (2004). Field guide: birds of Greater São Paulo. (224p). São Paulo: Aves e Fotos Editora.

Donatelli, R. J., Ferreira, C. D., Dalbeto, A. C., & Posso, S.R. (2007). Análise comparativa da assembleia de aves em dois remanescentes florestais no interior do estado de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 24 (2), 362-375. DOI dx.doi.org/10.1590/S010181752007

Ferguson-Lees, J., & Christie, D. A. (2001). Raptors of the world. (992p). Boston: Houghton Mifflin Harcourt.

Ferreira, Y. N. (2000). Metrópole sustentável?: não é uma questão urbana. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, 14 (4), 139-144. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102883920000004

Fuller, M. R., & Mosher, J. A. (1987). Raptor survey techniques. In: Pendleton, B. G., Millsap, B. A., Cline, K. W., & and Bird, D. M. (Org). Raptor Management Techniques Manual (pp. 37-65). Washington DC: US Fish and Wildlife Service.

Gil, J. M., & Pleguezuelos, J. M. (2001). Prey and prey-size selection by the shorttoed eagle (Circaetus gallicus) during the breeding season in Granada (south-eastern Spain). Journal of Zoology, 255 (1), 131-137.

Höfling, E., & Camargo, H. D. A. (2002). Aves no campus (168p) São Paulo: Edusp

Jacoboski, L. I., Oliveira T. A. Hartz, S. M., Bianchi, V. (2014). Comparação da riqueza e composição de aves no interior e na borda em um fragmento de Floresta Estacional Decidual. Revista Biociências, 20 (2), 40-51. DOI: 10.13140/RG.2.1.2803.2084.

Menezes, L. N., & Ludwig, P. R. (2013) Diversidade alimentar da Coruja-Buraqueira (Athene cunicularia) em ambiente antropomorfizado no município de Maracaí/SP. Journal of the Health Sciences Institute, 31 (4), 347-350.

Microsoft Corporation. (2010). Microsof® Office Excel [Software]. Microsoft: Washington.

Mugnai, R. J. L., & Nessimian, D. F. (2010). Manual de Identificação de Macroinvertebrados Aquáticos do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Technical Books.

Oliveira J. M. L. (2002). Programa Rio São Francisco vivo: projeto de conservação e revitalização da bacia hidrográfica do rio (198 p). Salvador: SEPLANTEC/CRA.

Paiara, V., Cocucci, A. A, Oliva, G. E., & Sérsic A. N. (2017). The role of facultatively nectarivorous birds as pollinators of Anarthrophyllum desideratum in the Patagonian steppe: a geographical approach. Ecologia Austral, 27 (3), 312-325. DOI https://doi.org/10.

/EA.17.27.3.0.476.

Piacentini, V. Q., et al. (2015) Annotated checklist of the birds of Brazil by the Brazilian Ornithological Records Committee / Lista comentada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Revista Brasileira de Ornitologia, 23 (2), 91-298.

Primack, R. B., & Rodrigues, E. (2001). Biologia da conservação (327p). Londrina: Ed. Vida.

Rocha, C., et al. (2015). Caracterização da avifauna em áreas de cerrado no Brasil Central. Acta Biológica Catarinense, 2 (2), 49-63. Recuperado de http://periodicos.univille.br/index.php/ABC/index.

Rodrigues, M. G. F. (2003). Dinâmica das paisagens naturais no município de Cruz das

Almas – BA, com ênfase aos solos (111f). Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia, Escola de Agronomia, Cruz das Almas, BA, Brasil.

Santos, D. P., & Andrea, M. V. (2014, outubro). Levantamento da avifauna associada às plantações de eucalipto no Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, Cruz das Almas, Bahia. Anais do Workshop Genética, Biodiversidade e Conservação. Jequié, BA, Brasil, 4.

Santos, D. P., Barbosa, B. L., Guimarães, E. C. A., & Scherer, C. S. (2012, novembro). Levantamento da avifauna de um fragmento de Mata Atlântica do Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Cruz das Almas, BA. Anais do Congresso Brasileiro de Ornitologia. Maceió, AL, Brasil, 19.

Santos, M. F. B., & CadermatorI, C. V. (2010) Estudo comparativo da avifauna em áreas verdes urbanas da região metropolitana de Porto Alegre, sul do Brasil. Biotemas, 23 (1), 182-195. Recuparado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/biotemas/article/view/2175_7925.2010v23n1p181.

Sick, H. (1997). Ornitologia Brasileira (Ed. rev. ampl. por José Fernando Pacheco, 912p), Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Silveira, L. F., Olmos, F., & Long, A. J. (2003). Birds in Atlantic Forest fragments in north-east Brazil. Cotinga, 20 (2003), 32-46.

Tonhasca, A. (2005). Ecologia e história natural da Mata Atlântica (198p), Rio de Janeiro: Editora Interciência.

Triplehorn, C. A., & Johnson, N. F. (2011). Estudo dos Insetos. São Paulo: Cengage Learning.

Vieira, L. A., & Teixeira, R. L. (2008). Diet of Athene cunicularia (Molina, 1782) from a sandy coastal plain in southeast Brazil. Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão, 23 (5), 5-14.

Wolch, J. R., Byrne, J., & Newell, J. P. (2014). Urban green space, public health, and environmental justice: The challenge of making cities ‘just green enough’. Landscape and Urban Planning, 125, 234-244. Recuparado de https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0169204614000310.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line