Estimativas de associação entre caracteres agronômicos na seleção de genótipos de arroz de terras altas

Douglas Goulart Castro, Monique Carolina Nunes Fernandes, Marco Renan Félix, Reinaldo Soares Cazassa, Lais Moretti Tomé, Flávia Barbosa Silva Botelho

Resumo


Resumo: O conhecimento da grandeza da associação entre caracteres agronômicos é primordial em um programa de melhoramento, pois permite ao melhorista saber como a seleção de uma característica possa causar alterações em outras. Diante disso, objetivou-se com o presente trabalho, obter estimativas de correlação entre caracteres de importância agronômica na cultura de arroz de terras altas, visando à seleção e recomendação de genótipos superiores. Os experimentos foram conduzidos nos municípios de Lavras e Lambari, localizados no estado de Minas Gerais, no ano agrícola 2014/2015. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com três repetições e 20 linhagens do programa de melhoramento de arroz de terras altas da Universidade Federal de Lavras. Os caracteres avaliados foram dias de florescimento, altura de plantas, resistência a doenças e produtividade de grãos. As variáveis foram submetidas à análise de correlação, com base em dados médios provenientes da análise conjunta. A significância dos coeficientes foi avaliada pelo teste t. As análises estatísticas foram realizadas com o programa R. O resumo da ANAVA conjunta demonstrou que os tratamentos se diferenciaram, significativamente, para todos os caracteres, ou seja, há variabilidade genética entre as linhagens avaliadas. Pode-se concluir que é possível realizar a seleção simultânea de duas ou mais características. Pode-se selecionar os genótipos com maior produtividade por meio do caráter severidade de brusone de pescoço. Os genótipos CMG 1511 e CMG 1509 foram os que obtiveram menor nota para incidência de brusone de pescoço e maior produtividade.

Palavras chave: Oryza sativa, Correlação fenotípica, Seleção indireta.

 


Texto completo:

PDF

Referências


Breseghello, F., et al. (2011). Results of 25 years of upland rice breeding in Brazil. Crop Science, Madison, 51 (3), 914-923.

Cargnin, A., Souza, M. A., & Forgaça, C. M. (2010). Correlações entre caracteres agronômicos em cultivares de arroz (Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n. 264, 16p). Planaltina, DF: Embrapa Cerrados.

Castro, E. M., Breseghello, F., Rangel, P. H. N., & Morais, O. P. (2005). Melhoramento do Arroz. In: Borém, A. (Ed.). Melhoramento de Espécies Cultivadas (pp. 104-140). Viçosa: UFV.

Coimbra, J. L. M., et al. (1999). Análise de trilha e análise do rendimento de grãos e seus componentes. Ciência Rural, Santa Maria, 29, (2), 213-218.

Coimbra, J. L. M. (2005). Consequências da multicolinearidade sobre a análise de trilha em canola. Ciência Rural, 35 (2), 347-352.

Companhia Nacional de Abastecimento (2018). Acompanhamento de safra brasileira: grãos, Quarto levantamento, janeiro 2011. Recuperado em 21 de agosto, 2018, de http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/11_01_06_08_41_56_boletim_graos_4o_lev_safra_2017_2018. pdf.

Costa, N. H. A. D., Seraphin, J. C., & Zimmermann, F. J. P. (2002). Novo método de classificação de coeficientes de variação para a cultura do arroz de terras altas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, 37 (3), 243-249.

Cruz, C. D. (2011). GENES: a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum. 35 (3), 271-276.

Cruz, C. D., Regazzi, A. J., & Carneiro, P. C. S. (2012). Métodos biométricos aplicados ao melhoramento genético. (v. 1, cap. 9, pp. 392-451), Viçosa, UFV: Editora UFV.

Dallagnol, L. J., et al. (2006). Danos de doenças foliares na cultura do arroz irrigado e eficiência de controle dos fungicidas. Revista Brasileira Agrociência, Pelotas, 12 (3), 313-318.

Falconer D. S., & Mackay, T. F. C. (1996). Introdução à genética quantitativa. Harlow:

Longman.

Foundation for Statistical Computing. (2012). Development R Core Team: Language and Environment for Statistical Computing. Vienna, Austria: Foundation for Statistical Computing.

Gravois, K. A. R. W. (1993). Genetic relationships among and selection for Rice of yield and yield components. Crop Science, 33, 249-252.

Hallauer, A. R., & Miranda, J. B. (1988). Quantitative genetics in maize. Ames:Iowa State University Press.

International Rice Research Institute. (1996). Standard Evaluation System for Rice (52p). Manila: IRRI.

Khan, MSK, Iqbal J, & Saeed, M. (2014). Comparative study of agronomic traits of different rice varieties grown under saline and normal

conditions. Journal of Animal and Plant Sciences, 24(2), 634-642.

Latif, T., Iqbal, M., Khan, A. M., & Xhan, M. A. (1994). Correlation coefficient analysis of yield components in rice (Oryza sativa L.) Sarhard Journal of Agriculture,10, 667-670.

Mirza, M. J., Faiz, F. A., & Majid, A. (1992). Correlation studies and path analysis of plant height, yield and yield components in rice (Oryza sativa L.) Sarhard Journal of Agriculture, 8, 647-653.

Moosavi, M, Ranjbar G, Zarrini H.N, & Gilani A (2015). Correlation between morphological and physiological traits and path analysis of grain yield in rice genotypes under Khuzestan. Biological Forum : An International Journa,l 7(1), 43-47

Nascimento, I. O., et al. (2018). Silicon fertilization and seed microbiolization on disease severity and agronomic performance of upland rice. Revista Caatinga, Mossoró, 31 (1),126-134.

Nogueira, A. P. O., et al. (2012). Análise de trilha e correlações entre caracteres em soja cultivada em duas épocas de semeadura. Bioscience Journal, Uberlândia, 28 (6), 877- 888.

Prabhu, A. S., Araújo, L. G., Faustina, C., & Berni, R. F. (2003). Estimativa de danos causados pela brusone na produtividade de arroz de terras altas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, 38 (9),1045-1051.

Ramalho, M. A. O. (2012). Aplicações da genética quantitativa no melhoramento de plantas autógamas (522p). Lavras: Editora UFLA.

Sari, B. G. (2016). Tamanho de amostra para avaliar a severidade de brusone da folha em experimentos com arroz irrigado. Revista Caatinga, 29 (4), 822-831.

Silva, C. S. C., et al. (2017). Genetic and Phenotypic Parameters in the Selection of Upland Rice Genotypes. American Journal of Plant Sciences, 8, 3450-3459.

Silva, E. A., Soratto, R. P., Adriano, E., & Biscaro, G. A. (2009). Avaliação de cultivares de arroz de terras altas sob condições de sequeiro em Cassilandia, MS. Ciência e Agrotecnologia, 33 (1).

Streck, N. A., et al. (2006). Duração do ciclo de desenvolvimento de cultivares de arroz em função da emissão de folhas no colmo principal. Ciência Rural, 36 (4), 1086-1093.

Suhre, E., Cordeiro, A.C.C., & Medeiros, R.D. (2008). Avaliação de linhagens de arroz em diferentes sistemas de cultivo em várzea de Roraima. Revista Agro@mbiente, 2 (2),1-9.

Terra, T. G. R., et al. (2015). Características de tolerância à seca em genótipos de uma coleção nuclear de arroz de terras altas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 50 (9), 788-796.

Venkovsky, R., & Barriga, P. (1992). Genética Biometrica no fitomelhoramento (496p).

Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Genética.


Apontamentos



Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line