Reação de cultivares de maracujazeiro ornamental (Passiflora L.) a infestação da praga Agraulis vanillae vanillae (Linnaeus, 1758)

Tamara Esteves Ferreira, Fábio Gelape Faleiro, Jamile da Silva Oliveira

Resumo


Resumo: Neste trabalho, objetivou-se caracterizar a resistência de cultivares de maracujazeiro ornamental ao ataque de lepidópteros e analisar as regiões preferenciais de ataque nos ramos. O estudo foi realizado no Parque Ivando Cenci, PAD-DF, onde existem várias unidades demonstrativas com cultivares de maracujazeiro. Foi analisada a reação de BRS Estrela do Cerrado, BRS Rubiflora, BRS Rosea Púrpura e BRS Pérola do Cerrado ao ataque de lepidópteros, utilizando o delineamento inteiramente casualizado com três repetições. Para quantificação da área foliar danificada, 12 folhas danificadas foram comparadas com 12 folhas intactas. A cultivar BRS Rosea Púrpura que apresentou maior porcentagem de área foliar consumida foi utilizada para analisar a preferência das regiões de ataque. Nesse, foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com três tratamentos (posição das folhas nos ramos) e três repetições. Foram realizadas análises de variância e as médias comparadas pelo teste Tukey a 5%. As cultivares BRS Estrela do Cerrado, BRS Rubi do Cerrado e BRS Pérola do Cerrado não apresentaram lesões pelas lagartas nas folhas medianas dos ramos. A cultivar BRS Rósea Purpura apresentou 45,9% de área foliar consumida, sendo que um maior consumo foi verificado nas folhas localizadas nas regiões apicais e mediana dos ramos.

Palavras chave: Maracujá, Resistência a insetos, Interação inseto-planta.


Texto completo:

PDF

Referências


Barp, E.A., et al. (2006). Phenotypic plasticity in Passiflora suberosa L. (Passifloraceae): Induction and reversion of two morphs by light intensity. Brazilian Journal of Biology, São Carlos, 66 (3), 853-862.

Bernacci, L.C., et al. (2013). Passifloraceae: In: Lista de espécies da flora do Brasil. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Boiça Jr., A. L., Lara, F. M., & Oliveira, J. C. (1999). Efeito de genótipos de maracujazeiro (Passiflora spp.) e da densidade larval na biologia de D. juno juno (Cramer) (Lepidoptera: Nymphalidae). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, Londrina, 28 (1), 41-47.

Cardoso, M. R. D., Marcuzzo, F. F. N., & Barros, J.R. (2014). Classificação climática de Köppen-Geiger para o estado de Goiás e o Distrito Federal. Acta geográfica, 8 (16), 40-55.

Cruz, C.D. (2013). Genes - a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, 35(3), .271-276.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (2018). Maracujazeiros ornamentais com coloração de flores rosadas e azuladas. Recuperado de http://www.cpac.embrapa.br/lancamentoornamental2016/.

Faleiro, F.G., et al. (2014). Caracterização de germoplasma e melhoramento genético do maracujazeiro assistidos por marcadores moleculares - fase II: resultados de pesquisa 2008-2012 (Documentos, n. 324, 102p). Planaltina, DF: Embrapa Cerrados.

Faleiro, F.G., et al. (2017). Caracterização de germoplasma e melhoramento genético do maracujazeiro assistidos por marcadores moleculares - fase III: resultados de pesquisa e desenvolvimento 2012-2016 (Documentos, n. 341, 171p). Planaltina, DF: Embrapa Cerrados.

Faleiro, F.G., et al. (2018). Avanços e perspectiva do melhoramento genético de Passifloras do Brasil. In: Moreira, M. P., et al. (Eds.). Maracujá: dos recursos genéticos ao desenvolvimento tecnológico (pp. 81-93). Brasília, DF: Proimpress.

Junghans, T.G., & Jesus, O.N. (Eds.) (2017). Maracujá: do cultivo à comercialização (344p). Brasília, DF: Embrapa.

Junqueira, N. T. V., et al. (2005). Potencial de espécies silvestres de maracujazeiro como fonte de resistência a doenças. In: Faleiro, F. G., Junqueira, N. T. V., & Braga, M. F. (Orgs.). Maracujá: germoplasma e melhoramento genético (n.1, pp.79-108). Planaltina, DF: Embrapa Cerrados.

Kerpel, S.M. (2004). Influência do conteúdo nutricional de Passiflora suberosa e Passiflora misera na performance, nutrição, digestão e comportamento de escolha de oviposição de Heliconius erato phyllis (Lepidoptera: Nymphalidae) (163f). Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Biociências, Porto Alegre, RS, Brasil.

Silveira, M. A. P. A. (2002). Variação na dureza da folha em Passiflora, efeito no desgaste das mandíbulas de Heliconius erato phyllis (Lepidoptera: Nymphalidae) e conseqüências sobre a herbivoria (44f). Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Biociências, Porto Alegre, RS, Brasil.

Wohlmuth, H., et al. (2010). Pharmacognosy and Chemotypes of Passionflower (Passiflora incarnata L.). Biological and Pharmaceutical Bulletin,. 33 (6), 1015-1018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line