Influência de sistemas de cultivo na eficácia de herbicidas na produção do milho

Adão Bento da Silva, Franciele Cristina da Silva, Sarah Maysa Perim Silva, José Junior Nunes, José Victor Alves Gomes, Marco Antonio Moreira de Freitas

Resumo


Resumo: O sistema de plantio com presença de palhada no solo apresenta potencial na redução da infestação de planas daninhas, que juntamente com o controle químico apresentam-se como uma boa estratégia no manejo de plantas invasoras na cultura do milho. Deste modo, objetivou-se com este trabalho avaliar a eficácia dos herbicidas tembotrione + atrazina, glifosato + atrazina e glifosato no controle de plantas daninhas no milho e seu impacto nos índices de produtividade da cultura em dois sistemas de cultivo, plantio com palhada e convencional. Adotou-se delineamento de blocos casualizados, em esquema fatorial 2 x 5 sendo, fator A: sistemas de plantio, com presença de palhada e plantio convencional, e fator B: controle em pós-emergência, testemunha sem capina, controle com capina manual, tembotrione + atrazina, glifosato + atrazina e glifosato. As variáveis avaliadas foram eficácia de controle aos 14, 21, 28 e 35 dias após aplicação, biomassa seca da parte aérea, altura de inserção de espiga, massa de mil grãos e produtividade. Foi verificado que no sistema de plantio com presença de palhada obteve-se os melhores resultados em todas as variáveis analisadas quando comparado ao sistema de plantio convencional. O tratamento glifosato + atrazina se sobressaiu dos demais tratamentos nas variáveis, biomassa da parte aérea, produtividade e apresentou 100% de controle em todos as épocas avaliadas, evidenciando assim uma alternativa interessante para o manejo de plantas daninhas na cultura do milho.

 

Palavras chave: Plantas daninhas, Plantas de cobertura, Glifosato.

 


Texto completo:

PDF

Referências


Agostinetto, D., & Vargas, L. (2014). Resistência de plantas daninhas a herbicidas no Brasil (398p). Pelotas: UFPel.

Artuzi, J. P., & Contiero, R. L. (2006). Herbicidas aplicados na soja e produtividade do milho em sucessão. Pesquisa agropecuária brasileira, Brasília, 41 (7), 1119-1123.

Asociación Latinoamericana de Malezas. (1974). Recomendaciones sobre unificación de los sistemas de evaluacion en ensayos de control de malezas. ALAM, Bogotá, 1 (1), 35-38.

Basso, F. J. M., et al. (2018). Manejo de plantas daninhas em milho RR® com herbicidas aplicados isoladamente ou associados ao glyphosate. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, 17 (2), 148-157.

Benoit, L., et al. (2019). Efficacy of HPPD-inhibiting herbicides applied preemergence or postemergence for control of multiple herbicide resistant waterhemp [Amaranthus tuberculatus (Moq.) Sauer]. Canadian Journal of Plant Science, Ottawa, 99 (3), 379-383. DOI: 10.1139/cjps-2018-0320.

Bernardi, A. C. C., et al. (2003). Correção do solo e adubação no sistema de plantio direto nos cerrados. (Documentos, n.46, 22p). Rio de Janeiro: Embrapa Solos.

Brighenti, A. M., & Oliveira, M. F. (2011). Biologia de Plantas Daninhas In: Oliveira-Junior, R. S.; & Constantini, J. Biologia e manejo de plantas daninhas (Cap 1, pp.1-36). Curitiba: Omnipax.

Carvalho, L. B., et al. (2007). Estudo comparativo do acúmulo de massa seca e macronutrientes por plantas de milho var. BR-106 e Brachiaria plantaginea. Planta Daninha, Viçosa, 25 (2), 293-301. DOI: 10.1590/S0100-83582007000200008.

Carvalho, M. A. C., et al. (2004). Produtividade do milho em sucessão a adubos verdes no sistema de plantio direto e convencional. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, 39 (1), 47-53. DOI: 10.1590/S0100-204X2004000100007.

Castro, G. S. A., et al. (2011). Sistemas de produção de grãos e incidência de plantas daninhas. Planta Daninha, Viçosa, 29 (nesp.), 1001-1010. DOI: 10.1590/S0100-83582011000500006.

Ceccon, G., et al. (2013). Legumes and forage species sole or intercropped with maize in soybean-maize succession in Midwestern Brazil. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, 37 (1), 204-212. DOI: 10.1590/S0100-06832013000100021.

Collier, L. S., et al. (2006). Manejo da adubação nitrogenada para o milho sob palhada de leguminosas em plantio direto em Gurupi, TO. Ciência Rural, Santa Maria, 36 (4), 1100-1105. DOI: 10.1590/S0103-84782006000400009.

Concenço, G., et al. (2014). Winter oilseed crops after soybeans as tools for weed management in Brazilian savannah cropping systems. American Journal of Plant Sciences, 5 (15), 2277-2288. DOI: 10.4236/ajps.2014.515242.

Correia, N. M., Durigan, J. C., & Klink, U. P. (2006). Influência do tipo e da quantidade de resíduos vegetais na emergência de plantas daninhas. Planta Daninha, Viçosa, 24 (2), 245-253. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-83582006000200006

Correia, N. M., & Santos, E. A. (2013). Níveis foliares de macro e micronutrientes em milho tolerante ao glifosato submetido a herbicidas. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, 34 (6 supl. 1), 3165-3172. DOI: 10.5433/1679-0359.2013v34n6Supl1p3165.

Costa, L. L., et al. (2019). Interação entre herbicidas no controle de soja RR voluntária na cultura do milho. Revista Brasileira de Herbicidas, Londrina, 18 (2), 1-8. DOI: 10.7824/rbh.v18i2.655.

Dan, H. A., et al. (2010). Controle de plantas daninhas na cultura do milho por meio de herbicidas aplicados em pré-emergência. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, 40 (4), 388-393, 2010. DOI: 10.1590/S1983-40632010000400017.

Fancelli, L. A., & Dourado-Neto, D. (2000). Manejo de plantas daninhas. In: Fancelli, L. A., & Dourado-Neto, D. Produção de milho (pp. 183-215). Guaíba: Agropecuária.

Freitas, F. C. L., et al. (2008). Comportamento de cultivares de milho no consórcio com Brachiaria brizantha na presença e ausência de foramsulfuron + iodosulfuron-methyl para o manejo da forrageira. Planta Daninha, Viçosa, 26 (1), 215-221. DOI: 10.1590/S0100-83582008000100022.

Foundation for Statistical Computing. (2018). R Core Team: A language and environment for statistical computing. Vienna, Austria. Recuperado de URL https://www.R-project.org/.

Galon, L., et al. (2008). Períodos de interferência de Brachiaria plantaginea na cultura do milho na Região Sul do Rio Grande do Sul. Planta Daninha, Viçosa, 26 (4), 779-788. DOI: 10.1590/S0100-83582008000400009.

Giraldeli, A. L., et al. (2019). Efficacy and selectivity of alternative herbicides to glyphosate on maize. Revista Ceres, Viçosa, 66 (4), 279-286. DOI: 10.1590/0034-737x201966040006.

Grosghanizadeh, H., Lorzadeh, S., & Aryannia, N. (2014). Effect of weed interference on Zea mays: growth analysis. Weed Biology and Management, 14 (2), 133-137. DOI: https://doi.org/10.1111/wbm.12041

Grigolli, J. F. J., Gitti, D. C., & Lourenção, A. L. F. (2017). Controle de plantas de soja e supressão do capim em milho consorciado com Brachiaria ruziziensis. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, 84 (e0592015), DOI: 10.1590/1808-1657000592015.

Hess, M., et al. (1997). Use of the extended BBCH scale – general for the descriptions of the growth stages of mono- and dicotyledonous weed species. Weed Research, 37, 433-441.

Kluthcouski, J., & Yokoyama, L. P. (2003). Opções de integração lavoura-pecuária. In: Kluthcouski, J., Stone, L. F., & Aidar, H. Integração lavoura-pecuária (pp.131-141). Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão.

Kohrt, J. R., & Sprague, C. L. (2017). Response of a multiple-resistant palmer amaranth (Amaranthus palmeri) population to four HPPD-Inhibiting herbicides applied alone and with atrazine. Weed Science, Cambridge, 65 (4), 534-545. DOI: https://doi.org/10.1017/wsc.2017.28

Krenchinski, F. H., et al.(2018). Post-emergent applications of isolated and combined herbicides on corn culture with cp4-epsps and pat genes. Crop Protection, 106, 156–162. DOI: 10.1016/j.cropro.2017.11.016.

Matter, U. F., Silva, C. J., & Cazetta, J. O. (2004). Alocação de fotoassimilados em milho submetido a diferentes proporções de folhas e grãos. Revista Ceres, Viçosa, 51 (298), 741-753.

Melo, T. S., Makino, P. A., & Ceccon, G. (2019). Weed diversity in corn with different plant arrangement patterns grown alone and intercropped with palisade grass. Planta Daninha, Viçosa, 37. DOI: 10.1590/s0100-83582019370100103.

Merotto - Junior. A., et al. (2000). Redução da interferência de Brachiaria plantaginea (Link) Hitch. em milho através de capinas e aplicação de herbicidas em diferentes épocas. Planta Daninha, Viçosa, 18 (3), 474-477.

Nascente, A. S., et al. (2012). Brachiaria ruziziensis and herbicide on yield of upland rice. Planta Daninha, Viçosa, 30 (4), 729-735. DOI: 10.1590/S0100-83582012000400006.

Oliveira, M. F., et al. (2001). Efeito da palha e da mistura atrazine e metolachlor no controle de plantas daninhas na cultura do milho, em sistema de plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, 36 (1), 37-41. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-204X2001000100005.

Oliveira, P., et al. (2011). Consórcio de milho com braquiária e guandu-anão em sistema de dessecação parcial. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, 46 (10), 1184-1192. DOI: 10.1590/S0100-204X2011001000010.

Pereira, R. G., et al. (2009). Atributos químicos do solo influenciados por sistemas de manejo. Revista Caatinga, Mossoró, 22 (1), 78-84.

Rodrigues, B. N., & Almeida, F. S. (2018). Guia de herbicidas (764p). Londrina: Edição dos autores.

Silva, D. V., et al. (2015). Crescimento e rendimento do milho sob interferência da tiririca. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, 36 (5), 3077-3084. DOI: 10.5433/1679-0359.2015v36n5p3077.

Takano, H. K., et al. (2018). Chemical control of glyphosate-resistant goosegrass. Planta Daninha, Viçosa, 36. DOI: 10.1590/s0100-83582018360100055.

Wandscheer, A. C. D., Rizzardi, M. A., & Gaviraghi, F. (2014). Capacidade competitiva da cultura do milho em relação ao capim-sudão. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, 13 (2), 129-141.

Williams, M. M., Boerboom, C. M., & Rabaey, T. L. (2010). Significance of atrazine in sweet corn weed management systems. Weed Technology, 24 (2), 139-142. DOI: 10.1614/WT-D-09-00074.1.

Zagonel, J., Venâncio, W. S., & Kunz, R. P. (2000). Efeito de métodos e épocas de controle das plantas daninhas na cultura do milho. Planta Daninha, Viçosa, 18 (1), 143-150. DOI: 10.1590/S0100-83582000000100014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line