Palma forrageira na presença ou ausência de nitrogênio e adubação fosfatada

Leandro Alves Pinto, Antonio Alves Pinto, Marcos Silva Tavares, Luis Fernando Vieira da Silva, Felipe Thomaz da Camara

Resumo


Resumo: objetivou-se avaliar a produtividade da palma forrageira submetida a doses de nitrogênio e fósforo em sistema de cultivo adensado. O experimento foi realizado no sítio Croatá, no município de Bodocó – PE. O experimento foi conduzido em delineamento em blocos casualizados, com esquema fatorial 5x2, com três repetições, totalizando 30 parcelas experimentais, sendo o primeiro fator constituído por cinco doses de fósforo (0, 30, 60, 90 e 120 kg ha-1 de P2O5), que correspondem, respectivamente, a 0, 167, 334, 501 e 668 kg ha-1 de superfosfato simples) e o segundo com a presença ou ausência de nitrogênio (0 e 63 kg ha-1 de N), equivalentes a 0 e 300 kg ha-1 de sulfato de amônio, respectivamente. As variáveis analisadas foram largura e comprimento dos cladódios, espessura dos cladódios, número de cladódios por metro linear, massa fresca do cladódio e produtividade por hectare. Os resultados demonstraram que os fatores nitrogênio e fósforo apresentaram significância a 0,01 de probabilidade para as variáveis espessura de cladódio e o número de cladódios por metro, respectivamente. A máxima produtividade da palma foi obtida na dose de 69,50 kg ha-1 de P2O5. A aplicação do fósforo foi determinante para o aumento da produtividade da palma forrageira. A aplicação do nitrogênio na palma não demonstrou resultados promissores.

 

Palavras chave: Fertilização, Cactácea, Opuntia fícus - índica (L.) Mill.


Texto completo:

PDF

Referências


Agência Pernambucana de Águas e Clima. (2019). Boletins climáticos. Recuperado de http://old.apac.pe.gov.br/meteorologia/.

Artur, A. G., et al. (2014). Variabilidade espacial dos atributos químicos do solo, associada ao microrrelevo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18 (2), 141-149. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662014000200003

Barbosa, J. C., & Maldonado Jr.., W. (2015). AgroEstat: sistema para análises estatísticas de ensaios agronômicos (396p). Jaboticabal: FCAV/UNESP.

Cantarella, H. (2007). Nitrogênio. In: Novais, R. F. et al. (Eds.). Fertilidade do solo (pp. 375-470). Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo.

Cavalcanti, L. F. M., Santos, M. V. F., & Dubeux Jr., J. C. (2000). Efeito da adição de P e K no crescimento da palma clone IPA-20 (Opuntia fícus-indica Mill.). In: Jornada de Iniciação Científica (pp.293). Recife: Ed. FACEPE, 4.

Dubeux Jr., C. B., et al. (2013). Potential of cactus pear in South America. Cactusnet Newsletter, 13 (nesp), 29-40.

Dubeux Jr., C. B., et al. (2010). Adubação mineral no crescimento e composição mineral da palma forrageira-Clone IPA-201. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 5 (1), 129-135.

Ferraz, R. L. S., et al. (2019). Estimation of productivity gain by irrigated and fertilized forage palm plants ('Opuntia ficus-indica'(L.) Mill. and Nopalea cochenillifera (L.) Salm-Dyck): systematic review and meta-analysis. Australian Journal of Crop Science, 13 (11), 1873. DOI: http://dx.doi.org/10.21475/ajcs.19.13.11.p2095

Gomes, F. G. (2009). Curso de estatística experimental (15 ed., 451p). Piracicaba: FEALQ.

Lopes, E. B. (Org.) (2012). Palma forrageira: cultivo, uso atual e perspectivas de utilização no semiárido nordestino (20p). João Pessoa: EMEPA/FAEPA.

Meneghette, H. H. A., et al. (2017). Doses de fósforo e potássio em plantas de amendoim na presença e ausência de adubação foliar/doses of phosphorus and potassium in peanut plant in the presence and absence of foliar fertilization. Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas, 11 (2), 125-134. DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2017v11n2p125-134

Mondragón-Jacobo, C., & Pérez-González, S. (2001). Germplasm resources and breeding Opuntia for fodder production. In: Mondragón-Jacobo, C. & Pérez-González, S. Cactus (Opuntia spp.) as forage (pp.21-28). Rome: FAO Plant Production and Protection Paper.

Montezano, Z. F., Corazza, E. J., & Muraoka, T. (2006). Variabilidade espacial da fertilidade do solo em área cultivada e manejada homogeneamente. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 30 (5), 839-847.

Nascimento, J. P. (2008). Caracterização morfométrica e estimativa da produção de Opuntia ficus-indica (L) Mill. sob diferentes arranjos populacionais e doses de fósforo no semi-árido da Paraíba, Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Campina Grande, PB, Brasil.

Oliveira, F. T., et al. (2010). Palma forrageira: adaptação e importância para os ecossistemas áridos e semiáridos. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 5 (4), 27-37.

Oliveira Neto, T. I., Costa, M. C. G., & Oliveira, V. P. V. (2016). Acúmulo de nitrogênio em plantas de milho crioulo em resposta à adubação orgânica. Revista Equador, 5 (4), 207-220.

Padilha Jr., M. C., et al. (2016). Características morfométricas e rendimento da palma forrageira ‘Gigante’ sob diferentes adubações e configurações de plantio. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 11 (1), 11. DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v11i1.3710

Pereira, P. D. C., et al. (2015). Morfogênese da palma forrageira irrigada por gotejamento. Revista Caatinga, 28 (3), 184-195. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-21252015v28n321rc

Pinheiro, K. M., et al. (2014). Correlações do índice de área do cladódio com características morfogênicas e produtivas da palma forrageira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 49 (12), 939-947. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-204X2014001200004

Santos, H. G., et al. (2018). Sistema Brasileiro de Classificação de solos (356p). Brasília: Embrapa.

Scheinvar, L. (2001). Taxonomia das Opuntia utilizadas. In: Inglese, P., Barbera, G., & Pimenta B. E. (Eds.). Agroecologia, cultivo e usos da palma forrageira. Paraíba: SEBRAE/PB.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (2010). Palma forrageira e adensada e irrigada. Natal: SEBRAE/RN.

Silva, J. G. M., et al. (2011). Características morfológicas e produção de matéria seca da palma forrageira cv. gigante adensada submetida à adubação nitrogenada. Brasília, DF: Embrapa Caprinos e Ovinos.

Silva, J. A. (2012). Palma forrageira cultivada sob diferentes espaçamentos e adubações química. Tese de Doutorado, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, BA, Brasil.

Silva, J. A., et al. (2013). Composição bromatológica de palma forrageira cultivada em diferentes espaçamentos e adubações química. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 8 (2), 342-350. DOI: http://dx.doi.org/10.5039/agraria.v8i2a2431

Silva, J. A. D., et al. (2016). Extraction/export of nutrients in Opuntia ficus-indica under different spacings and chemical fertilizers. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 20 (3), 236-242. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v20n3p236-242

Silva, N. G. D. M., et al. (2010). Relationship between morphological characteristics and productivity of cactus forage clones. Revista Brasileira de Zootecnia, 39 (11), 2389-2397. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-35982010001100011

Silva, P. F. (2017). Crescimento e produtividade de palma forrageira sob diferentes lâminas de irrigação e adubação nitrogenada. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, Brasil.

Soares, M. S. (2017). Palma forrageira: aspecto do cultivo e desempenho animal. Nutritime Revista Eletrônica, Viçosa, 14 (4), 6041-6055

Vasconcelos, A. G. V. D., et al. (2009). Seleção de clones de palma forrageira resistentes à cochonilha-do-carmim (Dactylopius sp). Revista Brasileira de Zootecnia, 38 (5), 827-831.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Magistra

ISSN 2236-4420 - versão on line